Fleury segue atuando para retomada segura dos serviços, após ataque em ambiente de TI

LinkedIn

O grupo de serviços em saúde Fleury comunicou que segue atuando para a retomada gradual e segura dos serviços da companhia, após sofrer um ataque cibernético em seu ambiente de tecnologia da informação na terça-feira, que afetou parte de seus sistemas e operação.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:FLRY3) na quarta-feira (23).

“Ressaltamos que nossa base de dados está íntegra e que o atendimento em todas as Unidades de Atendimento da Companhia segue acontecendo por meio de soluções de contingência para garantir a prestação de serviços aos nossos clientes, que seguem recebendo nosso foco de atenção”, afirmou.

Ataque cibernético que atingiu seu ambiente de Tecnologia da Informação (TI)

O Fleury informou que devido ao ataque cibernético que atingiu seu ambiente de Tecnologia da Informação (TI) parte de seus sistemas e operação ficaram indisponíveis. A rede de laboratórios afirma ainda ter adotado todas as medidas para manter o atendimento aos seus clientes por meio de soluções de contingência.

Lucro líquido de R$ 118,6 milhões no primeiro trimestre, mais que o dobro do obtido no mesmo período do ano passado

O grupo de medicina diagnóstica Fleury registrou lucro líquido de R$ 118,6 milhões no primeiro trimestre, mais que o dobro do obtido no mesmo período do ano passado, impulsionado por avanço no número de exames eletivos além de demanda por testes de Covid-19.

receita líquida foi de R$ 893,8 milhões, crescimento de 25,2% na comparação anual. A margem líquida subiu cerca de cinco pontos percentuais, para 13,3%.

Segundo o Fleury, os exames de Covid-19 foram responsáveis por 9,7% da receita bruta total no primeiro trimestre ante 11,1% no quarto trimestre.

Enquanto isso, o custo de serviços prestados recuou como percentual da receita líquida de 73,7% no primeiro trimestre do ano passado para 67,9% nos três meses encerrados em março. Já as despesas operacionais, também em relação ao faturamento líquido, recuaram de 11% para 9,9%.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – de R$ 285,5 milhões de janeiro ao fim de março, um salto de 45,7% no comparativo anual. A margem subiu 27,4% para 31,9%.

Informações Reuters

Deixe um comentário