Minerva Foods : a 1ª reunião do recém criado Conselho Consultivo de Sustentabilidade e Inovação foi realizada

LinkedIn

A Minerva informou que foi realizada a primeira reunião do recém criado Conselho Consultivo de Sustentabilidade e Inovação da Minerva Foods.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:BEEF3), nesta terça-feira (01). Confira o documento na íntegra.

O Conselho Consultivo de Sustentabilidade e Inovação é um órgão colegiado de assessoramento, não estatutário, vinculado à diretoria da companhia, com o objetivo de acompanhar e discutir as práticas relacionadas à sustentabilidade socioambiental, governança corporativa e inovação, a fim de conferir maior transparência, eficiência e assertividade das iniciativas da Minerva Foods.

“Este conselho se reunirá no mínimo uma vez por mês e será composto por 5 membros da diretoria executiva da Minerva Foods, incluindo CEO e CFO, além de 2 membros independentes: Marcos Sawaya Jank e Luiz Fernando do Amaral, e ainda, como convidado Alexandre Mendonça de Barros, profissionais de reconhecida experiência acadêmica e de mercado nas cadeias do agronegócio e da sustentabilidade”, explicou a Minerva.

“A criação deste Conselho é mais uma iniciativa da Minerva Foods que reforça seu compromisso com a sustentabilidade e também no suporte a sua recém criada área de Inovação”, destacou a empresa em comunicado.

Minerva (BEEF3): lucro líquido de R$ 259,5 milhões no primeiro trimestre, contornando o impacto negativo da disparada do boi gordo no Brasil

Minerva Foods registrou lucro líquido de R$ 259,5 milhões no primeiro trimestre do ano, uma redução de 4,3% ante o mesmo período de 2020, contornando o impacto negativo da disparada do boi gordo no Brasil.

A receita líquida somou R$ 5,8 bilhões, uma expansão de 39,3% sobre o mesmo período do ano passado e de 1,8% na comparação com o quarto trimestre de 2020.

Na exportação, a receita cresceu 42%, para R$ 4,1 bilhões. A demanda aquecida, especialmente no Sudeste Asiático, beneficia os frigoríficos exportadores. Conforme o presidente da Minerva, Fernando Galletti de Queiroz, a queda da produção na Austrália ajudou – os abates no país, um importante concorrente no mercado internacional, estão no menor patamar em 36 anos, afirmou o empresário.

Operacionalmente, a Minerva mostrou a redução do peso relativo do Brasil para o negócio. Pela primeira vez, a Athena Foods – subsidiária que reúne os frigoríficos na Argentina, Uruguai, Paraguai e Colômbia – foi a principal divisão, respondendo por 50% da receita. A operação brasileira ficou com 44% e o restante vem da área de trading.

Já o Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações – foi de R$ 484,9 milhões, o que representa um crescimento de 27,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Houve um recuo de 21,4% na comparação trimestral. A expectativa dos analistas para o Ebitda do frigorífico era que o indicador ficasse em R$ 409 milhões.

Deixe um comentário