Eletrobras aprova contratação de operações de crédito de longo prazo por Furnas

LinkedIn

O Conselho de Administração da Eletrobras foi instalada no dia 16 de julho de 2021 com encerramento dos trabalhos registrado às 12h33min. A reunião transcorreu em ambiente exclusivamente remoto, por meio do aplicativo de videoconferência Cisco Webex Meetings.

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:ELET3) (BOV:ELET5) (BOV:ELET6) esta terça-feira (20). Confira o comunicado na íntegra.

Assumiu remotamente a presidência dos trabalhos o Conselheiro Ruy Flaks Schneider.

Os Conselheiros Armando Casado de Araujo, Ana Carolina Tannuri Laferte Marinho, Jeronimo Antunes, Marcelo de Siqueira Freitas, Ana Silvia Corso Matte, Rodrigo Limo Nascimento, Carlos Eduardo Rodrigues Pereira e Daniel Alves Ferreira participaram remotamente da reunião.

O Conselheiro Bruno Eustáquio Ferreira Castro de Carvalho emitiu seu voto por correspondência, nos termos do item 8.6.1.1 do Regimento Interno, sendo igualmente computado para fins dos quóruns de instalação e de deliberação.

O Conselheiro Felipe Villela Dias  ausentou-se justificadamente.

INSTRUÇÃO:

O material de suporte foi disponibilizado aos Conselheiros por meio do Portal de Governança.

QUÓRUNS DE INSTALAÇÃO E DE DELIBERAÇÃO:

Conforme prescreve o art. 28, caput, do Estatuto Social da Eletrobras, este conclave deve ser instalado com a presença da maioria de seus membros, e suas deliberações devem ser tomadas, como regra geral, pela maioria dos presentes.

A reunião foi instalada com a presença de dez membros, em observância ao quórum mínimo de instalação de seis membros.

O quórum mínimo para tomada de deliberações é de seis membros, exceto nos casos em que houver registro explícito de alteração do quórum de presentes à ocasião da deliberação.

A declaração prévia de conflito de interesses por parte do Conselheiro e/ou sua ausência momentânea do conclave acarretam sua subtração para fins do cômputo do quórum mínimo de deliberação respectivo

DECISÃO: DEL-138, de 16 de julho de 2021. Furnas – Anuência à contratação de operações de crédito de longo prazo por Furnas junto aos bancos BASA, Itaú, Banco do Brasil e Bradesco, no valor total de até R$ 1,6 bilhão, sem prestação de garantias pela Eletrobras. RES 453, de 05 de julho de 2021.

O Conselho de Administração da Centrais Elétricas Brasileiras – Eletrobras, no uso de suas atribuições, consubstanciado em decisão da Diretoria Executiva, na manifestação exarada pelo Comitê Estatutário de Auditoria e Riscos – CAE na 195ªª reunião havida em 14 de julho de 2021, no material de suporte e nos documentos abaixo, DELIBEROU: Resolução de Diretoria Executiva nº 453, de 05.07.2021;

Relatório de Diretoria Executiva DF-043, de 05 de julho de 2021;

Sumário Executivo DFF-011, de 08.07.2021; 1. anuir, nos termos da Política de Alçadas das Empresas do Grupo Eletrobras e com base no artigo 21, inciso III, do Estatuto Social de Furnas, à contratação de operações de crédito de longo prazo por Furnas, no valor total de até R$ 1,6 bilhão

A empresa pretende divulgar os resultados do 2T21 no dia 11 de agosto.

Lucro líquido de R$ 1,6 bilhão no 1T21, alta de 31%

Eletrobras fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 1,609 bilhão, uma alta de 31% frente aos R$ 1,228 bilhão de igual período do ano passado.

Segundo a estatal, o lucro do primeiro trimestre sofreu o impacto positivo dos resultados da transmissão, em decorrência da Revisão Tarifária Periódica com efeitos a partir de julho de 2020.

O resultado da última linha do balanço poderia ser ainda melhor se não fosse pelas provisões para contingências de R$ 932 milhões, com destaque para R$ 436 milhões relativos às contingências judiciais que discutem a correção monetária de empréstimo compulsório.

A receita operacional líquida atingiu R$ 8,208 bilhões no período, 8% superior ao mesmo trimestre do ano anterior. A receita operacional líquida recorrente, que engloba receita do Procel, registrou alta 8% e somou R$ 8,200 bilhões na mesma base de comparação.

Deixe um comentário