Johnson & Johnson espera US$ 2,5 bilhões em vendas globais da vacina de Covid este ano

LinkedIn

A Johnson & Johnson (NYSE:JNJ) disse na quarta-feira que espera vender US$ 2,5 bilhões de sua vacina de Covid-19 este ano, mesmo com as preocupações aumentando sobre a eficácia da vacina contra a variante delta.

Ao divulgar seus resultados financeiros do segundo trimestre, a empresa também divulgou ganhos e receitas que superaram as expectativas de Wall Street.

Resultados contra estimativas da Refinitiv:

  • EPS ajustado: US$ 2,48 por ação vs US$ 2,27 esperados.
  • Receita: US$ 23,31 bilhões contra US$ 22,21 bilhões esperados.

O preço das ações da empresa subiu quase 1% no pré-mercado após o relatório.

A Johnson & Johnson também é negociada na B3 através da BDR (BOV:JNJB34), a um preço de fechamento de terça-feira de R$ 59,02.

O negócio farmacêutico da J&J, que desenvolveu a vacina de dose única de Covid-19, gerou US$ 12,59 bilhões em receita, um aumento de 17,2% ano a ano.

A unidade de consumo da empresa, que fabrica produtos como Neutrogena e Listerine, gerou US$ 3,7 bilhões em receita, um aumento de 13,3% em relação ao ano anterior. Sua unidade de dispositivos médicos gerou US$ 6,9 bilhões, um aumento de 62,7%. Essa unidade foi duramente atingida no ano passado, quando a pandemia forçou os hospitais a adiar cirurgias eletivas e os americanos ficaram em casa.

“Todos nós percebemos nos últimos 18 meses o quão importante é a boa saúde e a opção eletiva não é opcional para sempre”, disse Joseph Wolk, diretor financeiro da J&J, após a empresa divulgar seu relatório de lucros na quarta-feira.

As vendas globais da vacina da Covid-19 no trimestre foram de US$ 164 milhões.

A empresa elevou suas projeções de ganhos e receitas para o ano. A J&J agora espera um lucro anual de US$ 9,50 a US$ 9,60 por ação, em comparação com sua previsão anterior de US$ 9,30 a US$ 9,45 por ação. Ela espera receita entre US$ 92,5 bilhões e US$ 93,3 bilhões, em comparação com sua previsão anterior de US$ 89,3 bilhões a US$ 90,3 bilhões.

Os resultados financeiros chegaram um dia depois de um novo estudo sugerir que a vacina da J&J é muito menos eficaz contra as variantes delta e lambda do que contra o vírus original. Os pesquisadores agora estão sugerindo que uma dose de reforço pode ser necessária para os receptores de J&J.

O estudo, que ainda não foi revisado por pares, está em desacordo com um relatório da empresa, que concluiu que a injeção é eficaz contra a variante delta, especialmente contra doenças graves e hospitalização, mesmo oito meses após a inoculação.

Delta, a variante dominante nos EUA, agora é responsável por cerca de 83% das infecções no país, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças.

Wolk disse na quarta-feira que as pessoas deveriam ser “cautelosas” sobre o novo estudo, acrescentando que os resultados foram baseados em amostras de sangue em um laboratório e podem não refletir o desempenho da injeção em um cenário do mundo real.

“Acho que provavelmente é melhor para todos consultar as autoridades de saúde que ainda não recomendaram um reforço, mesmo com algumas vacinas de menor duração por aí”, disse ele.

(Por Berkeley Lovelace Jr. da CNBC)

Deixe um comentário