Confira os Indicadores Econômicos desta quinta-feira (26/08/2021) - Caged, Pedidos de seguro-desemprego, PIB…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos de hoje, em destaque o Brasil criou 316.580 empregos formais em julho, resultado da admissão de 1.656.182 pessoas e da demissão de outras 1.339.602, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Brasil

  • CAGED: Brasil criou 316.580 empregos formais em julho

O Brasil criou 316.580 empregos formais em julho, resultado da admissão de 1.656.182 pessoas e da demissão de outras 1.339.602, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

No acumulado de 2021 até julho, a economia brasileira registra 1.848.304 empregos criados, resultado de 11.255.025 admissões e de 9.406.721 desligamentos. Nos 12 meses até julho, o saldo está positivo em 3.088.959.

Europa

  • Índice de confiança do consumidor da Alemanha para setembro caiu -1,2 ponto

O índice de confiança do consumidor da Alemanha para setembro caiu para -1,2 ponto, depois de marcar -0,3 ponto em agosto, segundo o instituto de estudos econômicos GfK. O relatório indica que embora as expectativas de renda estejam aumentando ligeiramente, tanto as expectativas econômicas quanto a propensão a comprar têm caído.

O índice de confiança está relacionado ao próximo mês, mas seus três subíndices referem-se ao mês atual. O subcomponente de expectativas econômicas caiu de 54,6 pontos em julho para 11,7 pontos em agosto. O subíndice de expectativas de renda recuou de 29,0 pontos para 12,8 pontos e o indicador de intenção de compra dos consumidores teve alta de 14,8 pontos para 43,7 pontos.

“O aumento significativo de casos, um declínio na dinâmica da vacinação e as discussões sobre como as pessoas não vacinadas devem ser tratadas no futuro têm perturbado visivelmente os consumidores. Eles temem que as restrições possam ser reforçadas novamente. Isso está aparentemente colocando pressão sobre o sentimento do consumidor”, segundo o especialista da GfK, Rolf Bürkl.

Estados Unidos

  • Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA totalizam 353.000, ficando acima do esperado

O número de novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos subiu em 4 mil solicitações na semana encerrada em 21 de agosto, totalizando 353 mil, após ter alcançado 349 mil na semana anterior, segundo estatísticas do Departamento do Trabalho ajustadas por fatores sazonais.

Os analistas previam 350 mil pedidos. Uma queda nos pedidos sugere que menos pessoas estão sem trabalho, enquanto uma alta indica o contrário. A média móvel dos pedidos de seguro-desemprego feitos nas últimas quatro semanas, um indicador menos volátil, caiu em 11,5 mil, para 366,5 mil pedidos.

O número total de pessoas que estavam recebendo seguro-desemprego do governo norte-americano na semana encerrada em 14 de agosto caiu em 3 mil, para 2,862 milhões. A média móvel de quatro semanas do número de pessoas que seguem recebendo seguro-desemprego caiu em 108,5 mil para 2,901 milhões.

  • PIB dos Estados Unidos cresceu 6,6% no segundo trimestre

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu 6,6% no segundo trimestre em relação ao trimestre anterior, em base anualizada, uma aceleração ante o primeiro trimestre, quando houve expansão de 6,3%. Os dados são da segunda leitura divulgada pelo Departamento de Comércio do país.

A primeira leitura do PIB do segundo trimestre havia mostrado crescimento de 6,5%. O mercado previa uma alta de 6,7% para esta segunda leitura.

Deixe um comentário