Alupar (ALUP11): lucro líquido atribuído de R$ 180 milhões no 2T22, queda de 45,8%

LinkedIn

A Alupar, holding que atua nos segmentos de transmissão e geração de energia elétrica, reportou lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 180 milhões no segundo trimestre deste ano, queda de 45,8% ante igual período de 2021. Já o lucro líquido no critério consolidado teve queda de 45,6% no comparativo anual, somando R$ 367,9 milhões.

Segundo a companhia do ramo de energia, o desempenho da Alupar no 2T22 é resultado da alta nas despesas financeiras, sobretudo pela entrada de novas operações de transmissão. O avanço da inflação, que variou em 2% neste intervalo, também impactou os números.

O lucro líquido regulatório da empresa, por sua vez, caiu 37,1% em relação ao segundo trimestre de 2021, para R$ 50,2 milhões.

A receita líquida replicou o recuo, pois o trimestre fechou em pouco mais de R$ 1,168 bilhão, contra R$ 1,28 bi registrado em 1T22. Se comparado ao mesmo trimestre do ano passado, a variação é ainda maior, já que o relatório da época mostrou a movimentação de R$ 1,33 bi.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – foi de R$ 873,1 milhões, queda de 22,7% em relação a um ano antes. A margem Ebitda caiu 9,8 pontos percentuais, para 74,7%.

As despesas operacionais somaram R$ 173,4 milhões no segundo trimestre deste ano, um crescimento de 2.212% em relação ao mesmo período de 2021.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 341 milhões no segundo trimestre de 2022, uma elevação de 69,5% sobre as perdas financeiras na mesma etapa de 2021.

No 2T22 foram realizados investimentos totais da ordem de R$ 212,5 milhões, sendo R$ 98 milhões investidos no segmento de transmissão, R$ 113 milhões no segmento de geração, e R$ 1,5 milhões no desenvolvimento de novos negócios, ante os R$ 204 milhões registrados no 2T21, quando R$ 147,3 milhões foram investidos no segmento de transmissão, R$ 55,9 milhões foram investidos no segmento de geração e R$ 0,8 milhões no desenvolvimento de novos negócios.

A dívida bruta da companhia totalizou R$ 664,9 milhões, ante os R$ 659,5 milhões registrados em dez/21.

Esta variação é explicada pela provisão de encargos, totalizando R$ 21,3 milhões; provisão de variação monetária, no montante de R$ 18,5 milhões; pagamentos dos encargos, no montante de R$ 34,3 milhões. Já as disponibilidades e investimentos de curto prazo da Alupar – Holding totalizaram R$ 662,9 milhões, R$ 142 milhões superior aos R$ 520,9 milhões registrados em dez/21.

A dívida bruta consolidada da Alupar e suas subsidiárias totalizou R$ 10.734,5 milhões no 2T22, ante os R$ 10.047,8 milhões apurados em dez/21.

Em 30 de junho de 2022, a dívida líquida da companhia era de R$ 8,301 bilhões, ante R$ 7,995 bilhões de dezembro de 2021.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 2,4 vez em junho de 2022, alta de 0,7 vez em relação ao mesmo período de 2021.

Os resultados da Alupar (BOV:ALUP11) referentes às suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 09/08/2022. Confira o Press release na íntegra!

VISÃO DO MERCADO

XP Investimentos 

A XP Investimentos anunciou, no final de junho, que está iniciando a cobertura de Alupar (ALUP11) com recomendação de compra e preço alvo de R$ 29/ação.

A recomendação de compra das ações da Alupar passa pelo portfólio robusto e pelo bom desempenho operacional — que devem fazer com que a companhia consiga aumentar a distribuição de dividendos aos acionistas. A holding de energia dispõe de linhas de transmissão e uma pequena parcela de ativos de geração com contratos de longo prazo e seguro para risco hídrico.

“Essa característica de fluxo de caixa estável e protegido da inflação nos permite comparar a Alupar com seus pares Taesa (TAEE11) e Isa Cteep (TRPL4), que negociam com taxas de retorno (TIRs) implícitas muito mais baixas”, afirma a análise da XP.

Trata-se da maior empresa 100% privada no ramo de transmissão no Brasil, lembra a XP. Com sedes também no Peru e na Colômbia, a Alupar compõe seu portfólio com 30 concessões de transmissão, totalizando 7929 km em linhas.

Além disso, a companhia possui 12 concessões de geração de fontes hídricas e eólicas, com capacidade instalada conjunta de 673,8 MW.

Em seu pipeline, a holding possui 124,7MW em construção e 23MW em processo de licenciamento. A construção dessas linhas marcou um período de baixa distribuição de dividendos em relação aos seus pares.

Contudo, a alavancagem confortável (3,1x dívida líquida/EBITDA Regulatório) e a redução de necessidade de capital para desenvolvimento de novas linhas apontam para um aumento na distribuição de dividendos da Alupar nos próximos anos.

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário