Banco Pan (BPAN4): lucro líquido de R$ 194 milhões no 2T22, queda de 1%

LinkedIn

O Banco Pan teve lucro líquido de R$ 194 milhões no segundo trimestre, com queda de 1% sobre o primeiro trimestre e de 4% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

O valor indica um recuo de 4% frente o lucro divulgado no mesmo período do ano passado.

As despesas administrativas e de pessoal totalizaram R$ 607 milhões no 2T22, frente aos R$ 561 milhões no 1T22 e aos R$ 498 milhões do 2T21, refletindo o impacto de despesas da Mosaico e custos adicionais com ajuizamento de veículos.

As despesas com originação somaram R$ 505 milhões ao final do trimestre frente aos R$ 386 milhões do 1T22 e aos R$ 524 milhões do 2T21, acompanhando os volumes de originação de crédito e aquisição de clientes.

Os ativos totais somaram R$ 54,171 bilhões no 2T22, um crescimento de 27% em relação ao 2T21.

O retorno anualizado foi de 11,9%, comparado à 13,3% no 1T22 e 14,7% no 2T21. Apesar de uma maior provisão de crédito nos últimos trimestres, mantivemos nosso lucro líquido principalmente devido a manutenção da margem financeira robusta, controle das despesas totais e alocação de crédito consolidada.

O índice de inadimplência de 90 dias atingiu 6,7% no segundo trimestre de 2022, um aumento de 1,3 p.p. frente ao segundo trimestre do ano passado.

A carteira de crédito total cresceu 11% no segundo trimestre de 2022, para R$ 36,040 bilhões.

O indicador de créditos vencidos acima de 90 dias sobre a carteira foi de 6,7% frente a 6,8% no 1T22. Ao mesmo tempo, 8,4% dos empréstimos estavam vencidos no período entre 15 e 90 dias, 0,2 p.p. abaixo dos 8,6% do 1T22.

O NIM Gerencial refletiu uma margem financeira de R$ 1.903 milhões, crescimento de 6% em relação aos R$ 1.799 milhões do 1T22 e 11% em relação aos R$ 1.710 milhões do 2T21.

A despesa líquida de provisão de créditos totalizou R$ 466 milhões, frente aos R$ 506 milhões do 1T22 e aos R$ 285 milhões do 2T21. Em relação à carteira, estas despesas líquidas de recuperação anualizadas passaram de 5,7% no 1T22 para 5,2% no 2T22.

A captação de recursos totalizou R$ 37,537 bilhões no segundo trimestre, avanço de 24% em relação ao mesmo período de 2021.

A instituição chegou a 20,9 milhões de clientes totais, com expansão de 8% e 69%, na mesma base de comparação.

O patrimônio líquido consolidado do Pan totalizou R$ 7,719 bilhões no 2T22, frente aos R$ 7,672 bilhões no 1T22 e R$ 5,559 bilhões no 2T21.

Em função da consolidação do Banco PAN no consolidado prudencial do BTG Pactual, o índice de Basileia individual deixou de ser formalmente divulgado. Entretanto, seguimos divulgando um índice gerencial para acompanhamento da capitalização do Banco PAN.

O Índice de Basileia gerencial (proforma) encerrou o 2T22 em 17,0% frente aos 16,5% registrados ao final do 1T22 e aos 15,6% registrados no 2T21, todos compostos integralmente por Capital Principal.

Os resultados da Banco PAN (BOV:BPAN4) referentes às suas operações do segundo trimestre de 2021 foram divulgados no dia 08/08/2022. Confira o Press release na íntegra!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Reuters

Deixe um comentário