Bom dia ADVFN - Prévia do PIB (IBC-Br), produção industrial e varejo chinesa decepcionam e mais

LinkedIn

Esse é o Bom dia, Investidor!   15 de agosto de 2022, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Bolsas mundiais:  As ações asiáticas fecharam sem direção única, os índices futuros americanos operam em queda, reagindo aos dados decepcionantes e um corte surpresa nas taxas de juros na China, contribuindo para um cenário mais obscuro para a perspectiva econômica global. Petróleo e minério de ferro operam em baixa.

Na Ásia, as bolsas fecharam sem direção única, com investidores ainda avaliando o corte de juros anunciado pelo Banco Popular da China, e após dados ruins da indústria e do varejo no país. O índice Xangai ficou praticamente estável em baixa de -0,02% e o Shenzhen realizou alta de +0,47%. Em Tóquio, o Nikkei teve alta de +1,14%, após o Japão anunciar expansão trimestral de 0,5% no 2TRI. Hong Kong, no entanto, registrou queda, com o índice Hang Seng perdendo -0,67%; em Taiwan, o Taiex subiu +0,84%. Na Coreia do Sul, não houve negócios em razão de feriado nacional.

Na Europa, as Bolsas operam de forma mista em semana que será divulgada a ata do Fomc, que poderá dar um indicativo mais claro sobre o próximo passo do Fed em relação aos juros americanos. O risco de uma recessão na zona do euro atingiu o nível mais alto desde novembro de 2020, segundo economistas consultados pela Bloomberg.

Nos Estados Unidos,  Os índices operam em baixa no momento. Os rendimentos dos títulos da dívida americana subiram e a curva permanece profundamente invertida, apontando para preocupações de que a campanha de aperto monetário do Federal Reserve contra a alta inflação possa desencadear uma recessão nos EUA. Os mercados acionários nas últimas semanas foram beneficiados pelos sinais de desaceleração das pressões sobre os preços, o que gerou esperanças de aumentos de juros menos agressivos por parte do Federal Reserve. Os dados econômicos da China mostram, no entanto, que muitos obstáculos ainda estão à frente para a recuperação das ações globais em relação às mínimas registradas em junho. O petróleo cai forte, o minério de ferro , cobre e outros metais caem, levantando mais preocupações em torno da lenta recuperação da China, o que reduziria a demanda por matérias-primas. O ouro recuou abaixo de US$ 1.800 a onça.

==> Acompanhe os mercados mundiais pela ADVFN (aqui)

Os futuros internacionais de petróleo WTI estão sendo negociados a US$ 87,75 com baixa de 4,68%. O Brent opera em baixa de 4,71%, negociado a US$ 93,56.

Bitcoin (COIN:BTCUSD) é negociado a US$ 24.055,28 (-2,53%). O ouro  é negociado a US$ 1.792,65 por onça-troy (-1,25%).

⇒ Bitcoin – Acompanhe o Mundo Cripto na ADVFN

Minério de ferro:  O Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve baixa de 2,88%, a 707,50 iuanes, o equivalente a US$ 104,53.

Coronavírus

Em 24 horas, foram registrados 4.429 novos casos de covid-19 no Brasil. No mesmo período, houve 37  mortes de vítimas do vírus. O Brasil soma desde o início da pandemia 681.437 mortes por covid-19, segundo o boletim epidemiológico divulgado no domingo (14), pelo Ministério da Saúde. O número total de casos confirmados da doença é de 34.170.286.

Brasil

Os fundos de investimento brasileiros demonstram receio em relação às empresas estatais. Os investimentos realizados por eles nas companhias públicas estão hoje no menor nível desde 2008, com R$ 36,1 bilhões em ações dessas empresas, que são listadas na Bolsa. O volume, considerando os dados de meados de agosto, representa queda de 43% em relação à posição do fim do ano passado e de 71% na comparação com 2019, momento pré-pandemia e quando atingiu a máxima histórica, com R$ 124,5 bilhões.

O desemprego registrou queda em 22 dos 27 estados no segundo trimestre de 2022, em relação ao trimestre anterior, disse o IBGE na sexta-feira (12). Os demais cinco estados tiveram estabilidade no período, mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) Trimestral. O movimento reflete a queda generalizada na taxa de desocupação no último ano, que, de abril a junho, foi de 9,3%, uma queda de 1,8 ponto percentual (p.p.) ante o primeiro trimestre do ano (11,1%).A maior queda foi em Pernambuco, com recuo de 3,5 p.p. na comparação trimestral. Na sequência, vêm Tocantins, Alagoas, Pará, Piauí e Acre, com quedas de cerca de 3 p.p. As maiores taxas de desocupação foram da Bahia (15,5%), Pernambuco (13,6%) e Sergipe (12,7%), e as menores, de Santa Catarina (3,9%), Mato Grosso (4,4%) e Mato Grosso do Sul (5,2%).

Poderes

O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que regulamenta as concessões de empréstimo consignado a beneficiários do Programa Auxílio Brasil. O texto foi publicado na sexta-feira (12) no Diário Oficial da União. O Ministério da Cidadania ainda editará normas complementares para o início das operações e será o responsável pela retenção dos valores autorizados pelo beneficiário do programa e pelo  repasse à instituição financeira consignatária. O crédito consignado é aquele concedido pelas instituições financeiras com desconto automático das parcelas em folha de pagamento do salário ou benefício.

Economia

A ausência de reajustes salariais, a falta de concursos públicos e o adiamento de precatórios contribuíram para derrubar os gastos com o funcionalismo em 2022. As despesas reais com os servidores públicos federais ativos e inativos encerrou o primeiro semestre no menor nível em 14 anos. Os dados foram compilados pela Agência Brasil com base nas estatísticas do Tesouro Nacional. De janeiro a junho, o Poder Executivo Federal desembolsou R$ 157,477 bilhões para pagar salários, aposentadorias e sentenças judiciais do funcionalismo, em valores atualizados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).O montante é o mais baixo para o primeiro semestre desde 2008, quando estava em R$ 139,733 bilhões, também em valores corrigidos pela inflação.Ao atualizar os gastos pelo IPCA, o recorde nos gastos com o funcionalismo no primeiro semestre foi registrado em 2019, quando as despesas atingiram R$ 186,213 bilhões. De lá para cá, os gastos recuaram 15,43% em termos reais (descontada a inflação).

O IBC-Br, conhecido como “prévia do PIB”, será divulgado nesta segunda-feira (15) pelo Banco Central e o Itaú prevê uma alta de 0,3% na comparação com maio. A temporada de divulgação dos resultados das empresas brasileiras chega em sua reta final nesta segunda-feira (15). CSN (CSNA3), Itaúsa (ITSA4) e Nubank (NUBR33) são alguns dos destaques entre as últimas companhias a soltar resultados.

Agenda Econômica

🇯🇵 Produção industrial mensal e anual (01h30)
🇧🇷 Boletim Focus (08h25)
🇧🇷 Índice de atividade IBC-Br BC mensal e anual (09h00) ⭐️
🇺🇸 Índice de manufatura Empire State mensal (09h30)
🇺🇸 Índice do mercado imobiliário residencial NAHB mensal (11h00)
🇧🇷 Balança comercial semanal (15h00) ⭐️
Ibovespa e dólar no último pregão:

Ibovespa:  

Referência do mercado brasileiro, o principal índice fechou em alta de 2,78% aos 112.764,26 pontos, impulsionado por uma resultados corporativos e pela disparada de Petrobras, enquanto apostas relacionadas aos juros nos Estados Unidos e no Brasil asseguraram o melhor desempenho semanal desde novembro de 2020.

Maiores altas do Ibovespa

MGLU3: +17,76%, a R$ 3,58
HAPV3: +16,97%, a R$ 7,72
VIIA3: +13,98%, a R$ 3,18
AZUL4: +10,73%, a R$ 16,51
LWSA3: +10,46%, a R$ 9,93

Maiores baixas do Ibovespa

NTCO3: -10,36%, a R$ 14,28
SBSP3: -4,42%, a R$ 43,85
JBSS3: -2,62%, a R$ 30,42
AMER3: -2,41%, a R$ 12,96
TIMS3: -1,16%, a R$ 12,74

Na Toro, traders podem usar a plataforma Profit Pro grátis

Dólar    

O dólar comercial fechou em queda de 1,66%, a R$ 5,074, com o real mantendo um fluxo favorável em uma semana marcada pela volatilidade no mercado em relação às apostas sobre os próximos passos do Fed.

Juros

O DI para 2023 teve sua taxa recuando dois pontos-base, para 13,70%. Os contratos para 2025 e 2027 viram seus yields recuarem, respectivamente, 17 e 16 pontos, para 11,77% e 11,60%.

Ifix   

O índice fechou com alta 0,68% aos 2.870 pontos. O índice bateu na mínima de 2.851 pontos e na máxima chegou a 2.872 pontos. Na semana, sobe 1,90%.

Fonte: CNN, CNBC, Infomoney, TC, G1, Agência Brasil e BDM, estadão, isto é dinheiro.

Deixe um comentário