ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for pro Negocie como um profissional: Aproveite discussões em tempo real e ideias que movimentam o mercado para superar a concorrência.

Sony comprará de volta até US$ 1,5 bilhão em ações no próximo ano

LinkedIn

A Sony Group Corp (NYSE:SONY) planeja uma recompra de até 2,03% de suas ações nos próximos doze meses, após alertar sobre ventos contrários à frente de uma queda nos gastos globais do consumidor.

A Sony Group Corp também é negociada na B3 através do ticker (BOV:SNEC34).

A Sony, com sede em Tóquio, junta-se a uma longa lista de empresas japonesas executando recompras nas últimas semanas. A empresa de eletrônicos e entretenimento disse que gastará até 200 bilhões de ienes (US$ 1,5 bilhão) para comprar no máximo 25 milhões de suas ações.

O preço das ações da Sony negociadas em Nova York atingiu uma alta de 52 semanas esta semana, em meio a uma recuperação mais ampla das ações japonesas. Suas ações fecharam em alta de 0,6% antes do anúncio de quarta-feira.

As recompras de ações estão disparando no Japão, com empresas como a trading Mitsui & Co, o conglomerado industrial Hitachi Ltd e a empresa de serviços públicos Tokyo Gas Co anunciando planos para comprar suas próprias ações este ano.

Para a Sony, o movimento de quarta-feira dá continuidade a uma série de recompras feitas nos últimos anos. A fabricante do console de jogos PlayStation também anunciou programas de compra de ações de ¥ 200 bilhões em 2022 e 2021.

A empresa alertou em seus resultados de lucros no mês passado que venderia menos jogos do PlayStation Studios neste ano fiscal. A maior fabricante mundial de sensores de imagem para smartphones espera que o mercado móvel global permaneça em baixa no próximo ano, de acordo com o diretor de operações Hiroki Totoki.

Por Bloomberg/Vlad Savov

Deixe um comentário