ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for charts Cadastre-se para gráficos em tempo real, ferramentas de análise e preços.

Ibovespa cai 0,15%, pressionado por Petrobras e Banco do Brasil

LinkedIn

O Ibovespa encerrou a sessão desta sexta-feira em leve baixa, pressionado por ações que possuem grande participação no índice, como Petrobras e Banco do Brasil. Investidores operaram com cautela em meio à baixa liquidez no mercado local devido ao feriado de Carnaval na próxima semana, que interromperá os negócios na bolsa brasileira até meados de quarta-feira.

O Índice Bovespa (Ibovespa), que reflete o desempenho médio das cotações das principais ações de empresas negociadas na BM&FBOVESPA, é formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses.

O Ibovespa fechou com uma queda de 0,15%, aos 128.025 pontos, com volume abaixo da média de 50 pregões, de R$18,3 bilhões. Desde segunda-feira, o principal índice de ações do Brasil acumulou uma alta de 0,66%

“Nas últimas semanas, o índice vem operando em uma faixa restrita e, na nossa avaliação, a perspectiva incerta para os juros básicos (nos EUA) tem orientado esse movimento lateral”, afirmou Luis Novaes, analista da Terra Investimentos.

O dólar à vista fechou em baixa firme em relação ao real, após a revisão dos números de inflação nos EUA ficar dentro do esperado, em uma sessão marcada pela liquidez reduzida. A moeda norte-americana encerrou o dia cotado a 4,96 reais na venda, registrando uma queda de 0,68%. Na semana, a divisa registrou uma queda de 0,13%. Em fevereiro, o dólar acumula um ganho de 0,43%.

No Brasil, em um dia de liquidez reduzida devido à véspera do feriado prolongado de Carnaval, que deixará os mercados fechados até 12h da próxima quarta-feira, investidores operaram com cautela, apenas ajustando suas posições ao longo da sessão, sem grandes catalisadores econômicos. Investidores também refletiram a divulgação, na véspera, de balanços corporativos de companhias como Banco do Brasil, além de relatório da produção da Petrobras.

O destaque de hoje foi a divulgação do volume do setor de serviços de dezembro, que cresceu 0,3% em relação a novembro, embora tenha tido queda de 2,0% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na seara política, repercutiu entre operadores a notícia sobre um “acordo de paz” entre o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), após reunião pela manhã no Palácio do Alvorada, publicado pela CNN, citando fontes.

No mercado de commodities, os futuros do minério de ferro avançaram mais uma vez na China, às vésperas do início do feriado do Ano Novo Lunar, que manterá a maior parte dos índices asiáticos fechados até o dia 16 de fevereiro.

Os futuros do petróleo Brent encerraram em leve alta, após operar boa parte do dia sem direção definida, oscilando entre perdas e ganhos, após a commodity registrar quatro sessões consecutivas de alta, em meio às tensões no Oriente Médio.

Entre as maiores detratoras do Ibovespa figuraram as ações PN da Petrobras e ON do Banco do Brasil e Vale, que caíram 1,34%, 1,66% e 0,44%, na sequência.

As ações da Petrobras e do Banco do Brasil recuaram no dia, com investidores ajustando posições após a divulgação de produção e balanço corporativo, respectivamente. Ontem a Petrobras reportou dados de produção do quarto trimestre do ano passado, mostrando aumento de 10,9% em sua produção. Já o Banco do Brasil reportou resultados acima das expectativas, mas apoiados por fatores não recorrentes.

Em Nova York, os principais índices acionários encerraram mistos, com os mercados impulsionados pelas empresas de tecnologia, que apresentaram fortes ganhos na sessão, com a Nvidia renovando máxima de fechamento. O S&P500 encerrou acima do patamar de 5.000 pontos pela primeira vez.

Operadores também ponderavam uma modesta revisão de dados de inflação pelo Departamento do Trabalho de meses anteriores.

O índice Dow Jones perdeu 0,14%. Na ponta positiva, o S&P500 e o Nasdaq 100 avançaram 0,57% e 1,01%, respectivamente. Em termos semanais, os índices acumularam ganhos de 0,04%, 1,37% e 1,81%, na mesma ordem.

Além de dezembro, o Departamento de Trabalho também revisou o CPI de novembro, para mostrar alta de 0,2%, ante 0,1% estimados inicialmente. Em outubro, os dados foram revisados a 0,1%, ante estabilidade inicial.

Apesar da alta entre as empresas de tecnologia, o índice Dow Jones encerrou em baixa, pressionado pelas falas de autoridades do Federal Reserve, que entre outros pontos disseram não ter “urgência” em determinar um eventual ajuste para a política monetária, além da necessidade de mais dados para, de fato, concretizar leitura de convergência de preços à meta.

Durante a tarde, a presidente do Fed de Dallas, Lorie Logan, disse que “embora a inflação tenha apresentado um tremendo progresso” o Fed precisa de mais dados que confirmem a tendência. Logan também falou que a decisão de manter as taxas nos níveis atuais foi positiva e não vê nenhuma urgência em fazer qualquer ajuste na política monetária neste momento.

Nos mercados acionários, as ações da Nvidia, cotadas na Nasdaq, subiram 3,58%, a US$721,33, máxima recorde de fechamento.

Acompanhe as altas e baixas da bolsa nos últimos dias:

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
01/02/2024 0,57% 128.481,02  R$ 23,7 bilhões
02/02/2024 -1,01%  127.182,25  R$ 23,7 bilhões
05/02/2024 0,32%  127.593,49 R$ 19,5 bilhões
06/02/2024 2,21% 130.416,31 R$ 27,2 bilhões
07/02/2024 -0,35% 129.949,90  R$ 27,9 bilhões
08/02/2024 – 1,33% 128.216,92 R$ 26,3 bilhões
09/02/2024 – 0,15% 128.025,70 R$ 23,6 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA – (pregão à vista)

  • ALTAS IBOVESPA

ALPA4: +7,73% a R$ 8,64
MRVE3: +7,01% a R$ 7,17
BHIA3: +4,53% a R$ 7,84
TOTS3: +3,51% a R$ 30,68
VBBR3: +3,23% a R$ 24,63

  • BAIXAS IBOVESPA

RRRP3: -3,75% a R$ 28,21
MULT3: −3,30% a R$ 26,35
ASAI3: −2,96% a R$ 13,42
RECV3: −2,87% a R$ 21,97
MRFG3: −2,82% a R$ 8,97

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  1. 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

    3R Petroleum (RRRP3)

    A companhia sueca de petróleo Maha Energy, acionista da 3R Petroleum, solicitou a convocação de Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para votar a destituição dos atuais membros do Conselho de Administração, bem como a redução no número de conselheiros de 7 para 5. Saiba mais…

    A 3R Petroleum informou os dados preliminares da produção referente a janeiro, com 56.287 barris de óleo equivalente por dia (boe/d), dos quais 47.180 boe/d referem-se à parcela 3R. Em dezembro, a produção foi de 56.560, dos quais 47.016 boe/d referem-se à parcela 3R. Saiba mais…

    Banco do Brasil (BBAS3)

    O Banco do Brasil reportou lucro líquido ajustado de R$ 9,442 bilhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 4,8% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia. Saiba mais…

    O Banco do Brasil fará a recompra total do título de dívida subordinada que emitiu em 2014 e que compõe o capital de nível I do banco. Dos US$ 2,5 bilhões originalmente emitidos, US$ 1,37 bilhão estão em circulação. O cupom dos títulos é de 9% ao ano. Saiba mais…

    Banrisul (BRSR3/BRSR5/BRSR6)

    O Banrisul informou crescimento de 21% em seu lucro líquido do quarto trimestre de 2023 em relação ao mesmo período de 2022 para R$ 304 milhões. Frente ao terceiro trimestre, o lucro líquido do banco registrou expansão de 138,6%. No ano de 2023, o Banrisul teve lucro líquido de R$ 871,1 milhões, uma alta de 11,5% frente a 2022. Saiba mais…

    BB (BBAS3) e Bradesco (BBDC3/BBDC4)

    O Banco do Brasil e o Bradesco apresentaram objeções ao empréstimo Debtor-in-Possession (DIP), uma modalidade de crédito específica para empresas em situação financeira difícil, de US$ 950 milhões da Gol. Os bancos não questionam o financiamento, mas a estrutura de garantias. Saiba mais…

    CCR (CCRO3)

    A CCR reportou lucro líquido ajustado de R$ 393,9 milhões no quarto trimestre de 2023, uma alta de 184,6%, na comparação anual. No ano, o lucro líquido ajustado do grupo de infraestrutura somou R$ 1,4 bilhão, um crescimento de 89,9% sobre 2022. Saiba mais…

    A CCR espera que novidades sobre a repactuação do contrato da Concessionária de Rodovia Sul-Matogrossense (MSVia) apareçam entre 90 e 120 dias. Segundo o CFO da CCR, Waldo Perez, esse é o prazo para o grupo de trabalho criado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) dar uma resposta sobre o caso. Saiba mais…

    Cielo (CIEL3)

    A estratégia por trás do fechamento de capital (OPA) da Cielo foi um dos temas das teleconferências do Banco do Brasil e Bradesco dos resultados do quarto trimestre de 2023. Saiba mais…

    CSN (CSNA3)

    A CSN precificou a reabertura (retap) da oferta de títulos representativos de dívida denominados Notes emitidos em dezembro de 2023 no mercado externo por sua subsidiária CSN Resources, no valor de US$ 200 milhões, com vencimento em 2030 e juros de 8,875% ao ano.

    Embraer (EMBR3)

    Embraer e Mahindra Defence Systems anunciaram a assinatura de um Memorando de Entendimento (MoU) envolvendo o C-390 Millennium. Saiba mais…

    Gerdau (GGBR3/GGBR4)

    A siderúrgica Gerdau e a Newave Energia, empresa controlada pela gestora Newave Capital e Gerdau Next, assinaram um protocolo de instalação do Parque Solar Arinos, localizado em Arinos (MG). Saiba mais…

    Gol (GOLL4)

    A Gol protocolou ontem uma moção contra a Latam na Justiça de Nova York, pedindo que a concorrente seja intimada para esclarecer as acusações de que tentar tomar Boeings 737 da aérea brasileira, de acordo com matéria do Valor. Saiba mais…

    Itaú Unibanco (ITUB3/ITUB4)

    O Itaú Unibanco anunciou um acordo para a aquisição da corretora Avita, que atua com emissão de seguro garantia judicial. A compra será realizada em duas etapas. Na primeira, o Itaú Unibanco adquire 80% do capital social da Avita, controlada pela Prisma Capital, mantendo 20% com os sócios-fundadores. Na segunda etapa, após cinco anos, o banco comprará a participação remanescente do capital social da companhia. Saiba mais…

    Multiplan (MULT3)

    A Multiplan teve lucro líquido de R$ 302,581 milhões no quarto trimestre de 2023, alta de 26,6% ante o mesmo período de 2022, conforme balanço publicado. Saiba mais…

    Natura & Co. (NTCO3)

    A Natura anunciou a inauguração de uma agroindústria de óleo essencial na comunidade de Campo Limpo, localizada em Santo Antônio do Tauá (PA). Saiba mais…

    Petrobras (PETR3/PETR4)

    A Petrobras fechou o quarto trimestre do ano passado com produção média de 2,935 milhões de barris diários (boe) de óleo equivalente (petróleo e gás natural), uma alta de 10,9% na comparação com o mesmo período de 2022. Em 2023, a produção da companhia atingiu na média 2,684 milhões de boed, 3,7% acima do que foi registrado em 2022. Saiba mais…

    A Petrobras, em continuidade ao comunicado dia 27/12/2023, informou que concluiu a aquisição de participações nos 3 blocos exploratórios 10, 11 e 13, em São Tomé e Príncipe, na África, e celebrou aditivos aos contratos de partilha de produção e Joint Operating Agreements correspondentes, passando a fazer parte dos consórcios dos referidos blocos. Saiba mais…

    A Petrobras recebeu do Ministério de Minas e Energia (MME) a segunda lista com indicações para o conselho de administração da estatal, apurou o Broadcast. Saiba mais…

    Priner (PRNR3)

    A Priner precificou ontem à noite seu follow-on a R$ 11,44 por ação, sem desconto em relação ao preço do fechamento do papel. Na operação, a empresa levantou R$ 90 milhões – R$ 70 milhões da oferta base, mais 25% da hot issue. Saiba mais…

    Raízen (RAIZ4)

    A Raízen registrou um lucro líquido de R$ 754,4 milhões em seu balanço referente ao terceiro trimestre do ano-safra 2023/2024 (outubro/dezembro). Em comparação com o mesmo período do ano anterior, quando o número foi de R$ 255,7 milhões, houve uma elevação de 195%. Saiba mais…

    Rede D’or (RDOR3)

    A 1ª Turma Ordinária da 3ª Câmara e a 2ª Turma Ordinária da 4ª Câmara da 2ª Seção do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais – Carf conheceram e deram provimento aos recursos voluntários interpostos pela Rede D’Or São Luiz no âmbito de processos administrativos. Saiba mais…

    São Martinho (SMTO3)

    O grupo São Martinho viu seu lucro líquido cair pela metade no terceiro trimestre de 2024 diante da decisão de reconhecer antecipadamente o precatório da Copersucar de 2023, devido por conta da saída da cooperativa. O resultado da companhia recuou 51% no período, para R$ 210,6 milhões. Saiba mais…

    Sanepar (SAPR11)

    A Sanepar reportou lucro líquido de R$ 364,9 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 4,0% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia. Saiba mais…

    Usiminas (USIM5)

    A Usiminas reportou lucro líquido de R$ 974,5 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), revertendo prejuízo líquido de R$ 838,8 milhões no mesmo intervalo de 2022, informou a siderúrgica. Saiba mais…

    (Com informações da Forbes Money, TC Mover e Momento B3)

Deixe um comentário