ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for alerts Cadastre-se para alertas em tempo real, use o simulador personalizado e observe os movimentos do mercado.

Ibovespa sobe 0,09%, reagindo a balanços corporativos no Brasil e expectativa em torno da ata do Fed

LinkedIn

O Ibovespa encerrou estável nesta quarta-feira (21) em uma sessão marcada pela expectativa em torno da ata do último encontro do Federal Reserve, que no fim da tarde revelou preocupações entre seus membros com a possibilidade de cortes de juros ocorrerem muito cedo nos Estados Unidos.

O Índice Bovespa (Ibovespa), que reflete o desempenho médio das cotações das principais ações de empresas negociadas na BM&FBOVESPA, é formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses.

O índice subiu 0,09%, a 130.031,58 pontos. Na máxima do dia, chegou a 130.033,91 pontos. Na mínima, a 129.358,66 pontos.

No documento, o Fed informou que a maioria dos membros votantes estava preocupada, na última reunião do banco central norte-americano, com os riscos de cortar a taxa básica de juros cedo demais, havendo ampla incerteza sobre por quanto tempo os custos dos empréstimos deveriam permanecer no patamar atual.

“Os participantes destacaram a incerteza associada ao tempo que uma postura de política monetária restritiva precisaria ser mantida” para que a inflação voltasse à meta de 2% do Fed, disse a ata.

No Brasil, o noticiário econômico seguiu esvaziado. Pela manhã, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, esteve reunido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília, para discutir a questão da reoneração da folha de pagamentos de setores da economia. Após o encontro, Haddad não falou com a imprensa.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9385 reais na venda, registrando alta de 0,13%. Com o movimento desta quarta-feira, a moeda norte-americana passou a indicar estabilidade no acumulado de fevereiro.

Os principais índices acionários em Wall Street encerraram em queda, pressionados pelas ações de tecnologia e pela divulgação da aguardada ata da última reunião de política monetária do do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) nos Estados Unidos, com alguns membros da autarquia apontando que o progresso da inflação no país poderia “estagnar”.

O Dow Jones e o S&P500 subiram 0,13%. Na ponta oposta, o Nasdaq 100 recuou 0,38%. Ao fim da tarde, os rendimentos das Treasuries de dois anos operavam em alta de 4,1 pontos-base, a 4,657%, e os de dez anos, 4,0 pbs, a 4,319%, após fraco leilão mais cedo realizado pelo Tesouro, que colocou US$16 bilhões em Treasuries de 20 anos, com taxa de corte de 4,595%.

Também de acordo com a ata do Fed, a maioria dos membros do FOMC notou os riscos em se aliviar “muito rapidamente” os juros, enfatizando a importância dos próximos dados para julgar se a inflação está se movendo de forma sustentável para a meta de 2,0%.

Segundo o documento, os membros do comitê observaram, de forma geral, que não entendem como “apropriado” reduzir os juros até ganharem “maior confiança” de que a inflação esteja caminhando de forma sustentável em direção à meta. Eles também observaram “elevada incerteza” sobre quão longo o nível de juros restritivos seria necessário.

No final da tarde, derivativos negociados na Chicago Mercantile Exchange (CME) apontavam que investidores aumentaram as apostas na manutenção do juro em maio, a 69,2%, ante 65,5% na terça. Já um corte de 25 pontos-base em junho tem 53,1% de chances, ante 53,9% de chances projetadas na véspera, segundo as apostas do mercado.

No âmbito corporativo, destaque novamente para as empresas de tecnologia, que recuaram na sessão devido à grande expectativa para a divulgação de resultados da NVIDIA que sairá na noite de hoje. As ações negociadas na Nasdaq recuaram 2,85%, dando continuidade às recentes perdas.

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
02/02/2024 -1,01%  127.182,25  R$ 23,7 bilhões
05/02/2024 0,32%  127.593,49 R$ 19,5 bilhões
06/02/2024 2,21% 130.416,31 R$ 27,2 bilhões
07/02/2024 -0,35% 129.949,90  R$ 27,9 bilhões
08/02/2024 – 1,33% 128.216,92 R$ 26,3 bilhões
09/02/2024 – 0,15% 128.025,70 R$ 23,6 bilhões
14/02/2024 -0,79%  127.018,29 R$ 40,8 bilhões
15/02/2024 0,62% 127.804,13 R$ 22,9 bilhões
16/02/2024 0,72% 128.725,88 R$ 23,3 bilhões
19/02/2024 0,24%  129.035,74  R$ 13,3 bilhões
20/02/2024 0,68%  129.916,11 R$ 28,2 bilhões
21/2/2024  0,09% 130.031,58  R$ 23,4 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA – (pregão à vista)

  • ALTAS IBOVESPA

WEGE3: +6,77% a R$ 36,59
PCAR3: +5,22% a R$ 4,23
SMTO3: +3,05% a R$ 27,07
CRFB3: +2,90% a R$ 12,40
VBBR3: +2,81% a R$ 25,59

  • BAIXAS IBOVESPA

AZUL4: -4,37% a R$ 11,82
HAPV3: −4,23% a R$ 3,40
TRPL4: −3,54% a R$ 25,86
LWSA3: −3,25% a R$ 5,36
CIEL3: −3,62% a R$ 4,79

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  1. 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

    3Tentos (TTEN3)

    A 3tentos viu seu lucro líquido diminuir 21,6% no quarto trimestre de 2023 em comparação ao mesmo período do ano anterior para R$ 175,6 milhões. A queda dos preços das commodities e também dos defensivos e fertilizantes acabou influenciando nos resultados da companhia. Saiba mais…

    Aura Minerals (AURA33)

    A Aura Minerals registrou prejuízo líquido de US$ 5,9 milhões no quarto trimestre de 2023, revertendo lucro líquido de US$ 12,3 milhões de um ano antes. Saiba mais…

    Brisanet (BRIT3)

    A Brisanet comunica os dados operacionais referentes ao mês de janeiro. Saiba mais…

    Camil (CAML3)

    O CEO da Camil Alimentos, Luciano Quartiero, revelou planos para marcas adquiridas nos últimos anos pela companhia, citando a complementaridade entre elas como estratégia para ampliar a participação em diferentes mercados. A integração foi citada, durante o Camil Day, realizado nesta quarta-feira, como foco da atuação para ampliação da presença da marca Camil em Minas Gerais e da Santa Amália em São Paulo. Saiba mais…

    Eternit (ETER3)

    O Conselho de Administração da Eternit, em recuperação judicial, aprovou a incorporação da controlada integral Confibra Indústria e Comércio Ltda pela controladora Eternit S.A.

    Gerdau (GGBR3/GGBR4)

    A Gerdau reportou lucro líquido ajustado de R$ 732 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 45,1% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2022 e abaixo do consenso LSEG, que previa lucro de R$ 815,2 milhões. Saiba mais…

    Iguatemi (IGTI11)

    A administradora de shoppings Iguatemi registrou aumento de 28,3% no lucro líquido no quarto trimestre de 2023 em relação a igual período de 2022, saindo de R$ 93,4 milhões para R$ 119,8 milhões. O resultado ficou abaixo do previsto pelo cosenso LSEG, que projetava lucro de R$ 244 milhões. Saiba mais…

    Isa Cteep (TRPL3/TRPL4)

    A transmissora de energia ISA Cteep encerrou 2023 com forte alta do lucro líquido e vai focar na execução de seu plano de investimentos que destinará R$ 15 bilhões nos próximos anos para novas linhas e subestações e reforços e melhorias nas redes existentes, disseram executivos da companhia. Saiba mais…

    Kepler Weber (KEPL3)

    A Kepler Weber que seu programa de American Depositary Receipts (ADRs) Nível I, lastreados em ações ordinárias, foi declarado efetivo pela Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos (SEC). Saiba mais…

    Oi (OIBR3/OIBR4)

    A Oi comunicou que um fundo gerido pela Trustee DTVM passou a deter 5,14% das ações da operadora de telecomunicações e sinalizou a intenção de contribuir para melhoria na estrutura administrativa da companhia, que está em seu segundo processo de recuperação judicial. Saiba mais…

    Petrobras (PETR3/PETR4)

    A Petrobras e o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) iniciaram estudos para estruturar um fundo de Corporate Venture Capital (CVC) para apoiar micro, pequenas e médias empresas de base tecnológica, disse nesta quarta-feira, 21, a Petrobras. Saiba mais…

    A Baker Hughes informou em comunicado que conseguiu um contrato de vários anos para fornecer serviços de construção de plataformas de petróleo para a Petrobras. Saiba mais…

    No acumulado dos últimos 12 meses, a Petrobras, segunda ação de maior peso no Ibovespa, ganhou R$ 211 bilhões em valor de mercado, um salto de quase 60% em relação há um ano antes, quando rondava o patamar de R$ 360 bilhões. De outubro até ontem, 19, a estatal bateu dez recordes em market cap, sendo seis somente neste mês de fevereiro, e chegou a R$ 571,4 bilhões, o maior valor de suas ações e de mercado de todos os tempos. A ação ordinária da Petrobras encerrou nesta segunda-feira cotada a R$ 44,49 e a preferencial, R$ 42,90. Saiba mais…

    A forma como a Petrobras voltará à operação da Refinaria de Mataripe ainda não foi definida, disseram fontes ao Broadcast, mas sem deter o controle da unidade a estatal dificilmente conseguirá reintegrar a unidade ao próprio sistema e levar de volta ex-empregados realocados em outras unidades da companhia. Saiba mais…

    Taesa (TAEE11)

    A Taesa informou que o Sr. André Augusto Telles Moreira apresentou hoje, 21 de fevereiro de 2024, a sua carta de renúncia ao cargo de Diretor-Presidente, que foi aceita pelo Conselho de Administração da Companhia. Saiba mais…

    Telefônica Brasil (VIVT3)

    A Telefônica Brasil, dona da Vivo, reportou lucro líquido de R$ 1,601 bilhão no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 42,1% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a empresa de telefonia. Analistas esperavam, em média, lucro líquido de 1,41 bilhão de reais para o período, segundo dados da LSEG. Saiba mais…

    WEG (WEGE3)

    O conselho de administração da WEG aprovou proposta a ser submetida à próxima Assembleia Geral, com data prevista para o dia 23 de abril de 2024, de aumento do capital social de R$ 6.504.516.508,00 para R$ 7.504.516.508,00, através da incorporação de parte do saldo da conta de Reserva de Lucros / Retenção de Lucros para Investimentos no valor de R$ 1 bilhão sem aumento do número de ações.

    A WEG registrou aumento de 46,2% no lucro líquido no quarto trimestre de 2023 em relação a igual período de 2022, saindo de R$ 1,193 bilhão para R$ 1,744 bilhão. O resultado ficou acima dos R$ 1,34 bilhão previstos pelo consenso LSEG. Saiba mais…

    Wilson Sons (PORT3)

    A Wilson Sons comunicou que Fabrícia Souza, Diretora Financeira da Companhia, deixará sua posição na diretoria executiva estatutária da Companhia a partir de 13 de março de 2024.

    ZAMP (ZAMP3)

    A ZAMP comunicou que o Sr. Hugo Alberto Segre Junior apresentou sua renúncia ao cargo de membro efetivo do Conselho de Administração e do Comitê de Gente e Remuneração, com efeitos a partir da presente data. Saiba mais…

    (Com informações da Forbes Money, TC Mover e Momento B3)

Deixe um comentário