ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for alerts Cadastre-se para alertas em tempo real, use o simulador personalizado e observe os movimentos do mercado.

OpenAI refuta acusações do New York Times em disputa judicial sobre direitos autorais

LinkedIn

A OpenAI, em uma ação judicial recente, solicitou a um juiz federal de Manhattan que desconsiderasse certas alegações do processo movido pelo The New York Times (NYSE:NYT), que acusa a organização de violação de direitos autorais. A OpenAI defende que as acusações se baseiam em exemplos obtidos de forma inapropriada, alegando que o jornal pagou por uma operação que configuraria um “hack” dos seus produtos, como o ChatGPT, para produzir evidências de infração de direitos autorais.

No documento submetido ao tribunal, a OpenAI argumenta que o Times realizou “dezenas de milhares de tentativas” para extrair resultados atípicos dos seus sistemas, recorrendo a “instruções enganosas” que infringiriam diretamente os termos de uso da companhia. Segundo a OpenAI, tais práticas não refletem o uso convencional de seus produtos pelos usuários.

A OpenAI sugere que as ações do Times podem ser equiparadas a práticas como engenharia reversa ou “red-teaming”, métodos utilizados por profissionais de segurança e ética em IA para identificar vulnerabilidades em sistemas. Essa abordagem é comum na indústria para melhorar a segurança e eficácia dos sistemas de IA, mas a OpenAI contesta a legitimidade dessas táticas no contexto apresentado pelo Times.

O processo do New York Times contra a OpenAI e a Microsoft, que busca reparação por bilhões de dólares alegando uso indevido de conteúdo protegido por direitos autorais, marca um ponto de inflexão na discussão sobre os limites legais para o treinamento de modelos de IA. A OpenAI, anteriormente, argumentou que é impraticável desenvolver modelos avançados de IA sem recorrer a algum conteúdo protegido por direitos autorais, dado que esses materiais abrangem uma vasta gama de expressões humanas essenciais para o aprendizado das máquinas.

Em resposta a desafios legais e éticos, a OpenAI tem procurado formalizar parcerias com detentores de conteúdo, como demonstrado por acordos recentes com a Axel Springer e negociações em curso com outras grandes organizações de mídia. A companhia enfatiza seu compromisso em colaborar com os criadores de conteúdo para estabelecer termos que beneficiem ambas as partes, mantendo a qualidade e a relevância de seus modelos de IA.

Deixe um comentário