ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for default Cadastre-se gratuitamente para obter cotações em tempo real, gráficos interativos, fluxo de opções ao vivo e muito mais.

Com a forte alta dólar, Bradesco BBI aponta que as petrolíferas juniores serão as ações mais beneficiadas

LinkedIn

Com a forte alta dólar ante o real neste mês de junho, chegando a superar o patamar de R$ 5,40, o Bradesco BBI aponta que as petrolíferas juniores serão as ações mais beneficiadas pela desvalorização do real.

Isso porque, segundo os analistas do banco, PetroRecôncavo, 3R e PRIO têm 100% das receitas atreladas ao dólar.

Book de ofertas: a mais completa do mercado financeiro, acompanhe as ofertas de compra e venda de um ativo e todos os negócios realizados no dia.

Segundo o BBI, a PRIO provavelmente será a que mais captará fluxos, dada a liquidez de suas ações e o fato de exportar toda a sua produção.

Por outro lado, vale lembrar que PetroRecôncavo (BOV:RECV3), 3R (BOV:RRRP3) e PRIO (BOV:PRIO3) trocam emissões de dívida em real por taxas indexadas ao dólar, o que seria um fator negativo.

Para a Petrobras (BOV:PETR4) e a Raízen (BOV:RAIZ4), por sua vez, “os benefícios realmente dependem se os preços do diesel e da gasolina (e, portanto, os preços do etanol doméstico) serão ajustados de acordo com a desvalorização do real”, comentam os analistas.
O banco explica que 28% da receita da Raízen tem exposição ao dólar (sem considerar ajustes), enquanto 15% dos custos estão atrelados a moeda estrangeira. Com ajustes, a exposição ao dólar sobe para 33% da receita.

Já para Petrobras, considerando os ajustes de preços, a receita é 100% exposta ao dólar e os custos cerca de 57%. Sem ajustes, a exposição da receita cai para 40%.

Informações Infomoney

Deixe um comentário