Produção Industrial Brasileira em Julho de 2015

Evolução Mensal da Produção Industrial Brasileira

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM – PF), divulgada mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção da indústria brasileira em julho de 2015 recuou 1,5% na comparação com o mês anterior, quando registrou decréscimo de 0,3%, acumulando nesse período perda de 2,4%.

Produção industrial brasileira recua 1,5% em Julho de 2015

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Categoria de Uso JUL 2015 x JUN 2015
Produção Industrial Total  -1,5% 
     Produção de Bens de Capital   -1,9% 
     Produção de Bens Intermediários   -2,1% 
     Produção de Bens de Consumo   -1,1% 
          Produção de Bens de Consumo Duráveis     9,6% 
          Produção de Bens de Consumo Semiduráveis e Não Duráveis   -3,4% 

A redução de 1,5% da atividade industrial na passagem de junho para julho teve predomínio de resultados negativos, alcançando três das quatro grandes categorias econômicas e 14 dos 24 ramos pesquisados. A produção de bens de consumo semi e não-duráveis, ao recuar 3,4%, mostrou a redução mais acentuada em julho de 2015, eliminando, dessa forma, a expansão de 3,1% acumulada nos meses de maio e junho últimos. Os setores produtores de bens intermediários (-2,1%) e de bens de capital (-1,9%) também registraram taxas negativas em julho de 2015, com ambos marcando o sexto mês seguido de queda na produção e acumulando nesse período perdas de 4,4% e 17,7%, respectivamente. Por outro lado, o segmento de bens de consumo duráveis, ao avançar 9,6%, assinalou o único resultado positivo nesse mês, após acumular perda de 25,2% entre outubro do ano passado e junho de 2015.

Indústria brasileira acumula queda de produção de 6,6% entre Janeiro e Julho de 2015

Também influenciaram no decréscimo mensal da produção industrial registrada no sétimo mês do ano catorze dos vinte e quatro ramos pesquisados. A principal influência negativa foi registrada por produtos alimentícios, que recuou 6,2%, eliminando a expansão de 4,3% observada no mês anterior. Vale destacar que esses setores foram influenciados nesse mês por paralisações em várias unidades produtivas, por conta das reduções de jornadas de trabalho e da concessão de férias coletivas. Outras contribuições negativas importantes sobre o total da indústria vieram das atividades de bebidas (-6,2%), de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-1,7%) e de indústrias extrativas (-1,5%), com o primeiro devolvendo parte do crescimento de 7,1% acumulado nos meses de maio e junho; o segundo interrompendo três meses de taxas positivas, período em que acumulou ganho de 3,6%; e o último acumulando queda de 2,6% nos últimos três meses, após avançar 4,3% entre dezembro de 2014 e abril de 2015.

Fabricação de produtos alimentícios puxa a queda mensal da produção industrial brasileira em Julho de 2015

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Região JUL 2015 x JUN 2015
Produção Industrial Total  -1,5%
          Amazonas  -1,5%
          Bahia    5,2%
          Ceará  -5,2%
          Espirito Santo  -1,4%
          Goiás    0,6%
          Minas Gerais  -1,3%
          Pará    0,4%
          Paraná  -6,3%
          Pernambuco    3,3%
          Rio de Janeiro  -0,9%
          Rio Grande do Sul    6,8%
          Santa Catarina  -2,4%
          São Paulo  -1,8%
     Região Nordeste    3,3%

Brasil: Produção industrial diminui em oito dos catorze locais avaliados pelo IBGE entre junho e julho de 2015

 

Evolução Anual da Produção Industrial Brasileira

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, a produção total da indústria nacional apontou redução de 8,9% em julho de 2015, sendo a décima sétima taxa negativa consecutiva registrada pelo indicador, sendo mais acentuada do que as quedas observadas em março (-3,3%), abril (-7,7%), maio (-8,8%) e junho (-2,8%).

Na comparação com julho de 2014, houve queda generalizada de produção nas atividades industriais avaliadas pelo instituto de pesquisa, afetando as quatro grandes categorias econômicas, 23 dos 26 ramos, 72 dos 79 grupos e 69,9% dos 805 produtos pesquisados. Vale citar que o mês de julho teve 23 dias úteis.

Entre as grandes categorias econômicas, ainda no confronto com igual mês do ano anterior, bens de capital (-27,8%) e bens de consumo duráveis (-13,7%) assinalaram, em julho de 2015, as reduções mais acentuadas entre as grandes categorias econômicas. Os setores produtores de bens de consumo semi e não-duráveis (-9,2%) e de bens intermediários (-5,6%) também mostraram resultados negativos nesse mês, com o primeiro registrando recuo acima da magnitude observada na média nacional (-8,9%), e o segundo apontando a queda menos intensa entre as grandes categorias econômicas.

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Categoria de Uso JUL 2015 x JUL 2014
Produção Industrial Total  -8,9% 
     Produção de Bens de Capital  -27,8%
     Produção de Bens Intermediários   -5,6% 
     Produção de Bens de Consumo  -10,1%
          Produção de Bens de Consumo Duráveis  -13,7% 
          Produção de Bens de Consumo Semiduráveis e Não Duráveis    -9,2% 

Entre as atividades pesquisadas pelo IBGE, as industrias de veículos automotores, reboques e carrocerias, cuja atividade recuou 19,1%, e as industrias de produtos alimentícios, que apresentaram queda de 7,2%, exerceram as maiores influências negativas na formação da média da indústria, pressionadas, em grande parte, pela redução na produção de caminhões, caminhão-trator para reboques e semirreboques, veículos para transporte de mercadorias, automóveis, reboques e semirreboques, carrocerias para ônibus e caminhões e autopeças, na primeira; e de açúcar cristal, VHP e refinado de cana, sucos concentrados de laranja, carnes de bovinos congeladas, frescas ou refrigeradas, bombons e chocolates em barras, biscoitos e leite em pó, na segunda.

Fabricação de veículos automotores e produtos alimentícios foram os maiores vilões pela queda anual da produção da indústria brasileira registrada em Julho de 2015

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Região JUL 2015 x JUL 2014
Produção Industrial Total  -8,9%
          Amazonas  -18,2%
          Bahia     0,4%
          Ceará  -13,7%
          Espirito Santo     3,4%
          Goiás   -3,3%
          Mato Grosso     0,7%
          Minas Gerais   -7,7%
          Pará     6,8%
          Paraná  -11,5%
          Pernambuco    -2,5%
          Rio de Janeiro    -8,3%
          Rio Grande do Sul    -4,7%
          Santa Catarina    -9,8%
          São Paulo   -12,0%
     Região Nordeste    -4,3% 

Onze estados pesquisados pelo IBGE registraram queda na produção industrial entre Julho de 2014 e Julho de 2015

 

Últimas Notícias sobre Produção Industrial

No Articles Found

Produção Industrial Brasileira nos Últimos 12 Meses

A taxa anualizada , que indica a taxa de variação da produção industrial acumulada nos últimos doze meses, com o recuo de 5,3% em julho de 2015, assinalou a perda mais intensa do que a verificada em junho último (-4,9%) e manteve a trajetória descendente iniciada em março de 2014 (2,1%).

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Categoria de Uso Últimos 12 Meses
Produção Industrial Total  -5,3% 
     Produção de Bens de Capital   -3,2% 
     Produção de Bens Intermediários   -6,2% 
     Produção de Bens de Consumo  -12,1% 
          Produção de Bens de Consumo Duráveis   -4,3% 
          Produção de Bens de Consumo Semiduráveis e Não Duráveis   -5,3% 

Pesquisa Industrial Mensal de Julho de 2015: Produção industrial brasileira caiu 8,9% na comparação com o mesmo mês do ano anterior

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Região Últimos 12 Meses
Produção Industrial Total  -5,3%
          Amazonas   -12,9%
          Bahia    -4,1%
          Ceará    -6,5%
          Espirito Santo    14,4%
          Goiás     0,5%
          Minas Gerais   -5,9%
          Pará    5,9%
          Paraná   -6,7%
          Pernambuco   -2,2%
          Rio de Janeiro   -4,4%
          Rio Grande do Sul   -7,0%
          Santa Catarina   -5,1%
          São Paulo   -8,5%
     Região Nordeste   -2,6%

 

Produção Industrial Brasileira Acumulada em 2015

No índice acumulado para o período janeiro-julho de 2015, na comparação com o mesmo período do ano anterior, o setor industrial nacional apresentou uma queda de produção de 6,6%. Além disso, é possível destacar um perfil disseminado de atividades com taxas de variação negativas, já que as quatro grandes categorias econômicas, 23 dos 26 ramos, 67 dos 79 grupos e 71,1% dos 805 produtos pesquisados apontaram recuo na produção.

Fabricação de bens de consumo semi e não duráveis puxam a queda mensal da produção industrial brasileira em Julho de 2015

Entre as grandes categorias econômicas, o perfil dos resultados para os sete primeiros meses de 2015 mostrou menor dinamismo para bens de capital (-20,9%) e bens de consumo duráveis (-14,2%), pressionadas especialmente pela redução na fabricação de bens de capital para equipamentos de transporte (-26,6%), na primeira, e de automóveis (-13,0%), na segunda. Os segmentos de bens de consumo semi e não-duráveis (-7,0%) e de bens intermediários (-3,4%) também assinalaram taxas negativas no índice acumulado no ano, com o primeiro prosseguindo com recuo acima da magnitude observada na média nacional (-6,6%), e o segundo apontando a queda mais moderada entre as grandes categorias econômicas.

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Categoria de Uso Acumulado em 2015
Produção Industrial Total  -6,6% 
     Produção de Bens de Capital  -20,9% 
     Produção de Bens Intermediários   -3,4% 
     Produção de Bens de Consumo   -8,7% 
          Produção de Bens de Consumo Duráveis  -14,2% 
          Produção de Bens de Consumo Semiduráveis e Não Duráveis   -7,0% 

Entre os setores, o principal impacto negativo foi observado em veículos automotores, reboques e carrocerias (-20,2%), pressionado, em grande parte, pela redução na produção de aproximadamente 92% dos produtos investigados na atividade, com destaque para os recuos registrados por automóveis, caminhões, caminhão-trator para reboques e semirreboques, autopeças, reboques e semirreboques, veículos para transporte de mercadorias e carrocerias para caminhões e ônibus.

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Região Acumulado em 2015
Produção Industrial Total  -6,6%
          Amazonas  -15,2%
          Bahia    -7,2%
          Ceará    -8,9%
          Espirito Santo    14,9%
          Goiás    -2,6%
          Minas Gerais    -7,0%
          Pará     6,8%
          Paraná    -7,1%
          Pernambuco    -2,2%
          Rio de Janeiro    -5,3%
          Rio Grande do Sul    -9,8%
          Santa Catarina    -6,7%
          São Paulo    -8,9%
     Região Nordeste    -5,0%
Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P: V:br D:20190627 07:59:22