Quanto custa investir em Fundos de Investimento?

Diante da grande variedade de fundos de investimento disponíveis no Brasil, recomenda-se que o investidor procure se informar sobre os custos relacionados a cada um.

De acordo com as normas da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), todos os custos de um fundo de investimento devem ser obrigatoriamente descontados durante o cálculo do valor da cota e, consequentemente, da rentabilidade divulgada. Portanto, ao compararmos a rentabilidade entre fundos de investimento, não estamos comparando apenas o desempenho dos ativos de cada fundo, mas sim a relação destes com os custos envolvidos na operação. 

Para descobrir os custos incidentes sobre um fundo de investimento será sempre necessário consultar o seu regulamento. Os principais tipos de custos que podem incidir sobre o fundo de investimento que você escolheu para investir são: taxas (taxa de administração, taxa de performance, taxa de entrada e taxa de saída), despesas operacionais (corretagem, custódia e liquidação financeira de operações e auditoria) e impostos (IR e IOF).

 

Taxa de Administração

Todos os tipos de fundos de investimento cobram uma taxa de administração para remunerar o trabalho executado pelo gestor e pelo administrador do fundo. O valor da taxa de administração varia muito de um tipo de fundo para o outro, e é uma taxa fixa anual que incide sobre o valor total investido, mas é cobrada todos os dias pela taxa equivalente diária.

A taxa de administração de fundos de gestão passiva é, em geral, inferior à taxa dos fundos de gestão ativa. Os fundos de gestão passiva cobram, em média, taxa de administração de 2% ao ano. 

Informe-se através do regulamento do fundo de investimento para saber qual o valor de sua taxa de administração.

 

Taxa de Performance

A cobrança de uma taxa de performance é comum em fundos de investimento de gestão ativa, principalmente os que investem em renda variável ou em outros ativos de maior risco. Esta taxa é cobrada como um percentual fixo quando a rentabilidade do fundo supera a variação do indicador utilizado como referência (benchmark) de desempenho, servindo para remunerar a boa gestão dos recursos, como se fosse um prêmio pelo trabalho executado. Esse indicador é previamente estabelecido, e existe uma periodicidade mínima para sua cobrança.

Apesar de não haver comprovação de que os fundos de investimento que cobram taxa de performance sejam mais bem-sucedidos do que aqueles que não cobram, esta taxa acaba sendo um incentivo à busca de melhores resultados. Informe-se através do regulamento do fundo de investimento se está prevista a incidência de uma taxa de performance e qual o seu valor e periodicidade.

 

Taxa de Entrada e Taxa de Saída

Há ainda um terceiro tipo de taxa cobrada por alguns fundos de investimento: taxa de entrada (ingresso) e/ou taxa de saída (resgate) do investimento. A intenção é incentivar que o cotista permaneça com o dinheiro aplicado por um prazo mais longo, permitindo que o gestor possa aproveitar oportunidades de investimento em negócios menos maduros, que só serão lucrativos após vários anos. No Brasil, não é comum fundos de investimento com taxa de entrada. 

Já a taxa de saída é mais comum. É cobrada apenas se o investidor precisar dos recursos antes do prazo de resgate estabelecido no regulamento do fundo.

 

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

 

O imposto sobre operações financeiras (IOF) incide apenas sobre os resgates realizados em um período inferior a 30 (trinta) dias da data da aplicação dos recursos, ou seja, o investidor que deixar o dinheiro aplicado em um fundo de investimento por menos de um mês terá que pagar IOF. A alíquota de IOF varia de acordo com o número de dias que o dinheiro do investidor permaneceu aplicado, de 96% a 0% sobre o total de rendimento do investimento. Os investimentos com prazo superior a 30 (trinta) dias são isentos da cobrança de IOF.

Clique aqui e veja a tabela completa de incidência de IOF sobre o investimento em fundos de investimento.

 

Imposto de Renda (IR)

 

A alíquota de imposto de renda (IR) varia de acordo com a classificação tributária do fundo de investimento e incide sobre o total do rendimento das aplicações.

 

No caso dos fundos de ações, o IR é cobrado no momento do resgate. Independentemente do prazo de aplicação, uma alíquota de IR de 15% incide sobre o total da rentabilidade.

 

Os fundos de investimento de curto prazo estão sujeitos à incidência de imposto de renda na fonte. A alíquota de IR que incide sobre os fundos de investimento de curto prazo é de 22,5% sobre o lucro obtido em aplicações de até 180 dias e de 20% em aplicações acima de 180 dias. Para fins de tributação, são considerados fundos de investimento de curto prazo aqueles cuja carteira de títulos tenha prazo médio igual ou inferior a 365 dias.

 

Os fundos de investimento de longo prazo também estão sujeitos à incidência de imposto de renda na fonte. A alíquota de IR que incide sobre os fundos de investimento de longo prazo é de 22,5% sobre o lucro obtido em aplicações de até 180 dias; de 20% em aplicações de 181 a 360 dias; de 17,5% em aplicações de 361 a 720 dias; e de 15% em aplicações acima de 720 dias. Para fins de tributação, são considerados fundos de investimento de longo prazo aqueles cuja carteira de títulos tenha prazo médio superior a 365 dias.

Clique aqui e veja a tabela completa de incidência de imposto de renda (IR) sobre o investimento em fundos de investimento.

Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P: V:br D:20190618 04:47:42