Semanário Bovespa: índice desvaloriza 0,17% com aversão a cena internacional

LinkedIn

O Ibovespa fechou esta semana com desvalorização de 0,17%, enviesado pela política local e a guerra comercial no exterior. Nesta semana, o Ministério do Comércio da China acusou os Estados Unidos de ser “caprichoso” com relação as negociações bilaterais, e pontuou que os direitos trabalhistas dos produtores agrícolas norte-americanos poderão ser prejudicados.

Ontem (22), o presidente americano, Donald Trump, ameaçou impor sobretaxas de 20% sobre exportações de veículos da União Europeia. Além disso, o Departamento de Comércio dos EUA estuda se as importações de automóveis e autopeças representam um risco à segurança nacional.

No Brasil, o deputado federal e pré-candidato a presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), anunciou que está planejando o seu discurso para outubro, e não participar dos debates televisionados entre os candidatos, será uma das suas medidas, segundo O Globo.

Ontem (22), o indicador teve alta de 0,81%, cotado a 70.640,65 pontos.

Após 16 pregões em junho, o índice desvalorizou 7,96%. Houve 6 fechamentos positivos contra 10 negativos. Em maio, o indicador fechou com 76.753,62 pontos.

Já no comparativo com 2017, após 118 pregões, o Ibovespa desvalorizou 7,54%. Já foram 59 fechamentos positivos contra 59 negativos. Ano passado, o índice fechou com 76.402,08 pontos.

Resumo da Semana

Na segunda-feira (18), o Ibovespa recuou 1,33%, cotado a 72.307,77 pontos. No dia seguinte, ele aumentou 0,44%, cotado a 71.706,36 pontos.

No meio da semana, o indicador elevou de 1,02%, cotado a 71.154,83 pontos. Na quinta-feira (21), o indicador teve queda de 2,84%, cotado a 70.074,90 pontos.

Ontem (22), o indicador teve alta de 0,81%, cotado a 70.640,65 pontos.

Deixe um comentário