Justiça homologou plano de recuperação judicial da Renova Energia

LinkedIn

A Justiça de São Paulo homologou o plano de recuperação judicial da Renova Energia apresentado no último dia 12 de dezembro. A empresa propõe quitar créditos com garantia real em 11 anos, com 24 meses de carência e quitação do principal em 18 parcelas semestrais.

O Fato Relevante foi divulgado na última sexta-feira (18). A Renova energia é negociada na B3 através dos papéis (BOV:RNEW3) (BOV:RNEW4) (BOV:RNEW11).

A empresa somava dívidas de mais de 3 bilhões de reais antes de pedir proteção contra credores em outubro passado. Confira o documento na íntegra.

Caso a companhia consiga vender seu parque eólico Alto Serão III – Fase A, haveria vencimento antecipado desses créditos com garantia real, com uso do valor levantado para liquidação dos compromissos com os credores.

Prejuízo líquido de R$ 51 milhões

Renova Energia reportou uma queda de 87% no seu prejuízo líquido no segundo trimestre de 2020, indo a R$ 51 milhões, ante prejuízo de R$ 426 milhões no mesmo período de 2019.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – fechou com lucro de R$ 37 milhões, contra prejuízo de R$ 334 milhões.

Deixe um comentário