Bitcoin se recupera a cerca de US$ 50.000 após compras de 3.318 bitcoins da Square

LinkedIn

O preço do Bitcoin disparou na quarta-feira (24) após uma forte liquidação, subindo para mais de US$ 50.000 novamente quando a Square anunciou que comprou US$ 170 milhões em criptomoeda.

Às 10h15 (horário de Brasília), a moeda digital mais valiosa do mundo subiu 7%, a um preço de US$ 50.441. A criptomoeda chegou a $ 51.369 algumas horas antes.

No momento da escrita, o bitcoin está em alta de 1,78% no dia a US$ 49.600.

Outras criptomoedas também tiveram um impulso, com o Ether e o XRP subindo 10% e 4,8%, respectivamente. Os chamados altcoins, ou criptomoedas alternativas, frequentemente sobem em tempos de força para o bitcoin.

Na terça-feira, a Square (NYSE:SQ) anunciou que comprou 3.318 bitcoins a um preço médio de cerca de US$ 51.235. A fintech, que é dirigida pelo CEO do Twitter, Jack Dorsey, disse que o bitcoin agora representa cerca de 5% de seus ativos totais.

Não é a primeira vez que a Square investe em bitcoin – a empresa comprou US$ 50 milhões em moeda digital no ano passado. Dorsey é um dos proponentes mais conhecidos do bitcoin, tendo uma vez dito que acredita que eventualmente se tornará a “moeda única” da internet.

Enquanto isso, a MicroStrategy anunciou na quarta-feira que comprou mais US$ 1 bilhão em bitcoins. A MicroStrategy não era tão conhecida antes de começar a investir na criptomoeda. Mas a empresa de software empresarial viu suas ações subirem mais de 400% desde que divulgou sua primeira compra de bitcoin em agosto.

O Bitcoin teve um início de semana difícil, caindo de um recorde de US$ 58.356 no domingo para US$ 45.501 na terça-feira. Não é incomum que o bitcoin passe por ataques selvagens de volatilidade – o token digital notoriamente subiu para quase US$ 20.000 em 2017, antes de entrar em um mercado baixista no ano seguinte.

O Bitcoin ainda está em alta de 70% até o momento no ano e mais de 400% nos últimos 12 meses. A impressionante recuperação do ativo atraiu a atenção de todos, desde o CEO da Tesla, Elon Musk, até a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen.

No início desta semana, Yellen chamou o bitcoin de um meio de pagamento “extremamente ineficiente” e alertou sobre seu uso em atividades ilícitas.

“É um ativo altamente especulativo e … acho que as pessoas devem estar cientes de que pode ser extremamente volátil”, disse a ex-presidente do Federal Reserve em uma conferência DealBook do New York Times. “Eu me preocupo com as perdas potenciais que os investidores podem sofrer.”

Musk, entretanto, revelou-se um crente no bitcoin. Sua empresa de carros elétricos recentemente investiu US$ 1,5 bilhão em dinheiro corporativo na criptomoeda, e o bilionário empresário de tecnologia disse que ela poderia estar “prestes a obter ampla aceitação” entre as empresas de serviços financeiros convencionais.

Mas até Musk sugeriu que os atuais níveis de preço do bitcoin podem ser insustentáveis, tweetando no fim de semana que ele acha que os preços do bitcoin e do token ether rival “parecem altos”.

Deixe um comentário