Confira a agenda econômica desta semana (29 a 02): Payroll, PMI's…

LinkedIn

Na agenda desta semana, virada de março para abril, os destaques serão os dados de emprego nos Estados Unidos e os índices de gerentes de compras, os PMIS, da China, Europa e Estados Unidos.

No Brasil, seguem as discussões sobre o orçamento para esse ano na seara político-econômica, seguindo também os impactos nos mercados no país diante da crescente preocupação fiscal. Em indicadores, teremos a divulgação de dados fiscais referentes a fevereiro, além de dados de produção industrial também de fevereiro.

Segunda-feira (29/03/2021)

Fique de olho nas projeções do mercado do Boletim Focus para juros, câmbio e inflação depois da ata do Copom e do Relatório Trimestral de Inflação do BC.

🇬🇧Crédito ao Consumidor do BoE (08h30)
🇧🇷 Relatório Boletim Focus (08h25) ⭐️
🇧🇷 Variação do estoque de crédito total mensal (09h30)⭐️
🇺🇸 FED- Discurso de Cristopher Waller (12h00)
🇯🇵 Vendas no varejo anual (20h50)

Terça-feira (30/03/2021)

No Brasil temos o IGP-M de março, que deve superar os 3,0% no mês e 31,0% em 12 meses. Também sai o resultado do Governo Central de fevereiro. No mesmo dia, na Alemanha, sai o índice de preços ao consumidor, o CPI, de fevereiro. Nos Estados Unidos será anunciada a Confiança do Consumidor. E na China, à noite, saem os PMIs de serviços e industrial.

🇧🇷 Índice IGP-M mensal (08h00)
🇩🇪 Índice de preço ao consumidor mensal (09h00)
🇧🇷 Índice de preço ao produtor anual (09h00)
🇺🇸 Confiança do consumido CB (11h00)⭐️
🇧🇷 Resultado primário do Governo Central (14h30)
🇺🇸 Variação no estoque de petróleo API (17h30)
🇯🇵 Produção industrial mensal (20h50)
🇨🇳 PMI composto (22h00)
🇨🇳 PMI não-manufatura mensal (22h00)

Quarta-feira (31/03/2021)

Quarta tem a PNAD Contínua do IBGE de janeiro, que deve mostrar um aumento do desemprego de 13,9% em dezembro para 14,0%. O BC divulga o resultado do setor público consolidado de fevereiro. Também tem taxa de desemprego na Alemanha e a inflação ao consumidor da Zona do Euro relativas a março. Nos Estados Unidos, também tem dados de emprego, mas só do setor privado, calculados pela empresa ADP, e que deve mostrar alta de 117 mil postos em fevereiro para 485 mil em março. Será uma prévia do Payroll de sexta.

🇬🇧 Transações correntes (03h00)
🇬🇧 Produto Interno Bruto anual (03h00)
🇩🇪 Taxa de desemprego mensal (04h55)
🇪🇺 Índice de preço ao consumidor anual (06h00) ⭐️
🇺🇸 Variação de empregos privados (09h15) ⭐️
🇧🇷 Pesquisa PNAD contínua mensal (09h00) ⭐️
🇧🇷 Resultado Primário e Nominal setor público consolidado (09h30)
🇧🇷 Relação dívida líquida e bruta – PIB mensal (09h30)
🇺🇸 PMI Chicago (10h45)
🇺🇸 Vendas Pendentes de Moradias (11h00) ⭐️
🇺🇸 Variação de Estoques de Petróleo EIA (11h30) ⭐️
🇨🇳 PMI Industrial Caixin mensal (22h45)

Quinta-feira (01/04/2021)

A Produção Industrial de fevereiro deve desacelerar de 2,0% de crescimento em janeiro para 1,6% na comparação mensal, segundo a LCA Consultores. A tendência será de piora nos meses seguintes pela falta de peças e isolamento social, como deve comentar a Fenabrave ao divulgar as vendas de veículos de março. É dia também de balança comercial de março e PMI industrial no Brasil, na Zona do Euro e nos EUA, que terão ainda o índice dos gerentes de suprimento, o ISM. A Opep fará sua reunião de ministros.

🇩🇪 Vendas no varejo mensal (03h00)
🇩🇪 PMI Industrial (04h55)
🇪🇺 PMI Industrial (05h00)
🇬🇧 PMI Industrial (05h30)
🇧🇷 Produção industrial mensal e anual (09h00) ⭐️
🇺🇸 Pedidos de seguro-desemprego (09h30) ⭐️
🇺🇸 Índice ISM de emprego no setor manufatureiro (11h00)
🇺🇸 PMI Industrial ISM (11h00)
🇧🇷 Balança Comercial mensal (15h00) ⭐️

Sexta-feira (02/04/2021)

Feriado no Brasil, saem os dados oficiais de emprego nos EUA. A expectativa é de criação de 580 mil vagas em março, superando as 379 mil de fevereiro. A taxa de desemprego deve cair de 6,2% para 6,0%. Sem data definida, ao longo da semana, saem as Vendas no Varejo da Alemanha de fevereiro e os dados de Crédito Agregado e Novos Empréstimos na China. Na reta final dos balanços, a raspa do tacho, até dia 31, terá 39 empresas. Destaque para Oi, Cogna, Centauro, Qualicorp e M. Dias Branco.

🇬🇧 Feriado Sexta-Feira Santa
🇩🇪 Feriado Sexta-Feira Santa
🇧🇷 Feriado Sexta-Feira Santa
🇺🇸 Feriado Sexta-Feira Santa
🇺🇸 Relatório de Emprego Payroll (09h30) ⭐️
🇺🇸 Contagem de Sondas Baker Hughes (15h00)

Resumo da semana anterior…

Segunda-feira (22/03/2021) – em destaque após o Comitê de Política Monetária (Copom) elevar em 0,75 ponto porcentual a Selic na semana passada, para 2,75% ao ano, os economistas do mercado financeiro aumentaram suas projeções para a taxa básica da economia no fim de 2021.

Terça-feira (23/03/2021) – destaque o presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, disse aos legisladores dos EUA que uma próxima rodada de aumentos de preços pós-pandemia não sairá do controle e alimentará uma explosão destrutiva de inflação persistente.

Quarta-feira (24/03/2021) – em destaque o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial dos EUA subiu de 58,6 em fevereiro para 59 em março, segundo dados preliminares divulgados hoje pela IHS Markit.

Quinta-feira (25/03/2021) – em destaque os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos caíram para menos do que o esperado na semana passada.

Sexta-feira (26/03/2021) – em destaque o déficit em transações correntes totalizou US$ 2,3 bilhões em fevereiro de 2021, ante déficit de US$ 4,7 bilhões em fevereiro de 2020.

Brasil

No Brasil, a semana começou com a divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), quando elevou a taxa Selic em 0,75 pp. No documento, o Copom argumentou que o mercado de trabalho está melhorando mais do que o esperado e os riscos fiscais aumentam com o agravamento da pandemia. Como havia feito no comunicado pós-reunião, reforçou a necessidade de mais um aumento de 0,75 pp na próxima reunião (maio).

Na seara dos indicadores, a arrecadação total de impostos federais atingiu R $ 127.747 bilhões em fevereiro, o que representa o maior resultado mensal da história. O resultado aos poucos vai deixando de refletir o forte desempenho da produção econômica, especialmente do setor industrial, verificado nos meses anteriores. Para frente, esperamos que os resultados fiscais deixem de trazer surpresas positivas, especialmente à medida que começam a refletir a desaceleração da atividade esperada para o final do primeiro trimestre do ano, provavelmente se sentindo mais forte no segundo trimestre, a iniciar em abril.

Já a inflação medida pelo IPCA-15 de março veio um pouco abaixo das expectativas, em 0,93% ao mês (XP: 0,95%; consenso do BBG: 0,96%). Analisando a composição, a XP a inesperada queda da gasolina. As medidas de núcleo de inflação vieram linha com nossa visão

Também foi destaque a publicação do Relatório Trimestral de Inflação por parte do Banco Central. No documento, a autoridade monetária reforçou seu plano de voo de ajuste parcial das condições monetárias – o que, a nosso ver, significa levar a taxa Selic para menos de 6% neste ano. Mantemos nossa projeção para a taxa Selic em 5,0% para 2021. Para 2022, subimos para 6,5% (5,0% antes).

Ao longo da semana, tivemos também a divulgação de índices de confiança referentes ao mês de março. Após recuperação observada ao longo do ano passado, e inicial reversão nos últimos meses, os principais índices de confiança registraram forte queda, puxados tanto pela piora da percepção sobre a  situação corrente quanto em expectativas para o futuro. A queda foi mais acentuada no setor varejista, que despencou 18,5 p.p. no período. Enquanto isso, a confiança do consumidor voltou ao nível visto em maio de 2020, a da construção recuou 3,2p.p., e a confiança industrial caiu para 104,2, permanecendo, porém, em patamar superior ao pré-crise.

Enquanto isso, no cenário político econômico, crescem as pressões para o aumento de gastos para conter os efeitos econômicos do avanço da segunda onda da pandemia da Covid-19. O Ministério da Economia discute formas de restabelecer o programa BEm de proteção ao emprego. Na visão da XP, a reedição do programa de auxílio ao emprego formal justifica-se, especialmente diante da efetividade observada no ano passado. Mas é crucial limitar o impacto fiscal da medida. Isso posto, a principal ferramenta no combate a pandemia segue sendo a vacinação.

Ainda na seara político-econômica, o Congresso aprovou ontem o Orçamento de 2021, o que deve permitir ao governo implementar duas das medidas emergenciais que estavam programadas: a antecipação do 13º do INSS e a nova fase do Pronampe – programa de crédito subsidiado a pequenas e médias empresas. Porém, na mesma linha de crescentes preocupações fiscais, o relatório final apresentado inclui corte substancial em despesas obrigatórias, para o aumento de emendas parlamentares. A manobra vai obrigar o governo a bloquear mais de R$ 30 bilhões para recompor as despesas obrigatórias, o que aumenta o risco de shutdown no segundo  semestre.

Mundo

O início da semana foi marcado pela forte depreciação da Lira turca, após a demissão do presidente do Banco Central. O Presidente da Turquia Erdogan tomou a decisão após o Banco Central subir 2 p.p. a taxa básica de juros na semana passada. O evento impactou moedas de outros emergentes, diante da preocupação de pressões inflacionárias potencialmente conflitantes com posições políticas em emergentes. A recente aprovação da autonomia do Banco Central no Brasil ganha relevância positiva na discussão.

Foi destaque também na semana um navio de carga de 400 metros, que encalhou no canal de Suez, um dos principais pontos de escoamento e trânsito de bens e serviços global. O incidente segue impedindo a passagem de outras embarcações, prejudicando a cadeia global logística, já conturbada diante de efeitos da pandemia da covid-19. Na esteira da redução de curto prazo da oferta de commodities, os preços de petróleo reagiram com alta ao longo da semana, interrompendo a tendência recente de queda.

Em política monetária, o presidente do Fed, Jerome Powell, e a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, reforçaram a visão destacada em comunicado do FOMC na semana passada. Em pronunciamentos ao longo da semana, as autoridades indicaram classificar as pressões inflacionárias correntes como temporárias, e sinalizaram continuidade dos estímulos à frente. Powel reforçou ter as ferramentas necessárias para controlar a inflação à disposição. Já Yellen destacou a importância de um pacote de infraestrutura para combater o desemprego. A secretária reconheceu que as medidas terão que ser custeadas por aumentos tributários, como o aumento do imposto corporativo a 28%.

Na seara de indicadores, as vendas de casas existentes nos Estados Unidos caíram 6,6% em fevereiro, mais que o dobro do esperado (-3,0%). O mercado imobiliário, um dos principais destaques da retomada recente da atividade, pode estar perdendo fôlego. Na mesma direção, o consumo das famílias caiu 1% em fevereiro frente a janeiro, pior do que as expectativas de mercado. Por outro lado, a medida de inflação ao consumidor (PCE) preferida pelo FED veio em linha com o esperado, arrefecendo perspectivas de alta excessiva de inflação no país.

Enquanto isso, na Zona do Euro, a prévia dos PMIs de março surpreenderam positivamente. O indicador de serviços variou +3.1 para 48.8, e da indústria saltou +4.5 pontos para 62.4, com destaque para Alemanha e França. Os fortes resultados, no entanto, devem que ser lidos com cuidado, uma vez que as medidas de isolamento avançam na região. O mesmo não ocorre no Reino Unido, por outro lado, onde os resultados também surpreenderam para acima, mas já podem ser lidos como impactos do início da vacinação (que já chegou a 23% da população) na retomada da atividade.

Finalmente, na seara diplomática, os EUA, Reino Unido e União Europeia anunciaram sanções contra a China por violações aos direitos humanos em Xinjiang. Beijing repudiou as alegações e indicou que as sanções afetariam negativamente as suas relações com os países. Em resposta, Beijing apresentou sanções reciprocas contra autoridades europeias e adotou firme discurso contra os poderes.

(Fonte Tc e Xp)

Deixe um comentário