Petrobras: Dilma sabe que gasolina está mais cara no Brasil

LinkedIn

A presidente Dilma Rousseff sabe o preço dos combustíveis no Brasil está bem acima dos preços internacionais. Respondendo à jornalistas, a presidente afirmou existe uma discrepância entre os preços praticados no País e no exterior, mas cabe a Petrobras (BOV:PETR4) decidir sobre um eventual reajuste. Apesar da fala da presidente, conversas nos bastidores apontam que o Governo já havia decidido sobre um corte nos preços dos combustíveis, mas o conselho de administração da Petrobras teria se indignado contra a decisão unilateral. Segundo especialistas, o preço dos combustíveis no Brasil estaria entre 25% e 50% mais caro do que no exterior.

Outras notícias importantes do dia

• A Latam (BOV:LATM33) decidiu cancelar o seu programa de BDRs. Os detentores de BDRs que não desejarem vender as suas ações poderão manter-se como acionistas da companhia no Chile, sendo que cada BDR representa uma ação.

• O Dólar (FX:USDBRL) voltou a registrar ganhos com o recrudescimento da situação política no País. A moeda norte-americana subiu 1,8% no pregão de ontem, cotada a R$ 3,68.

• O WhatsApp decidiu criptografar todas as transmissões de mensagens entre seus usuários. A companhia segue o caminho da Apple (NASDAQ:AAPL) que já criptografava as mensagens do aplicativo iMessage desde seu lançamento.

• A agência de classificação de risco Moody’s rebaixou para Ca a nota de crédito da Usiminas (BOV:USIM5), com perspectiva estável. A nota reflete dívidas em default, com poucas chances de recuperação.

• As reservas confirmadas da CVC Brasil (BOV:CVCB3) totalizaram R$ 1,29 bilhão no primeiro trimestre, crescimento de 1,7% na comparação anual. A diminuição das reservas no segmento internacional foi mais do que compensada pelo grande crescimento das reservas no segmento doméstico informou a empresa.

• Eike Batista afirma não houve alienação do controle da CCX Carvão (BOV:CCXC3) com a transferência de 26,45% de ações da companhia para o fundo de investimento Mubadala, e portanto, não se torna necessário a formulação de oferta pública por todas as ações da companhia.

Esta notícia foi extraída do Bom Dia ADVFN, newsletter diária divulgada pela ADVFN Brasil, em 06-04-2016. Acesse a versão completa do Bom dia ADVFN por este link: Clique aqui.

Deixe um comentário