Banco do Brasil: Comitê de pessoas retira da pauta indicação de Iêda Cagni para o Conselho

LinkedIn

O Comitê de Pessoas, Remuneração e Elegibilidade do Banco do Brasil retirou da pauta da reunião ocorrida no último dia 08 a análise da indicação de Ieda Aparecida de Moura Cagni a uma cadeira no conselho de administração da instituição, feita pela União.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:BBAS3), nesta quinta-feira (15).

Segundo a ata da reunião, foi identificada inconsistência para enquadramento nos critérios para ser conselheira independente. O comitê verificou que Cagni possui vínculo com a União, que é controladora do BB.

O comitê recomenda que seja realizada a revisão das informações prestadas na ficha de cadastro, a fim de esclarecer se a indicada se enquadra ou não nos critérios de conselheira independente, para que o processo de elegibilidade seja novamente analisado.

Na mesma reunião, foram aprovados os nomes de Fernando Florêncio Campos e Rachel de Oliveira Maia para o conselho de administração, indicados por minoritários, além de Carlos Alberto Rechelo Neto e Tiago Brasil Rocha para o conselho fiscal, como titular e suplente, respectivamente.

A empresa pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 06 de maio.

Lucro do BB soma R$ 13,8 bilhões em 2020, queda de 22,2%

Banco do Brasil (BB) registrou lucro líquido ajustado de R$ 13,884 bilhões em 2020, queda de 22,2% em relação a 2019 com impacto da pandemia.

Segundo o BB, o lucro foi influenciado, principalmente, pelo aumento da PCLD ampliada em 47,6%, impactada, principalmente, pela antecipação de provisões prudenciais que somaram R$ 8,1 bilhões. Apesar disso, o Resultado Estrutural cresceu 5,9% o que demonstra a resiliência do desempenho operacional no período.

Destaques positivos em 2020 foi o aumento da margem financeira bruta em 5,1%, Despesas Administrativas estáveis com variação de 0,1% e queda do risco legal em 51,1%. O RSPL foi de 12,0%.

4T20

O Banco do Brasil registrou lucro líquido ajustado de R$ 3,695 bilhões no quarto trimestre do ano passado, queda de 20,1% ante igual período de 2019. Em relação ao trimestre anterior, contudo, houve expansão de 6,1%.

Deixe um comentário