ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for tools Aumente o nível de sua negociação com nossas ferramentas poderosas e insights em tempo real, tudo em um só lugar.

Produção Industrial Brasileira em 2017

Mês Índice Mensal (%) Índice Anual (%) Índice Ano (%)
JAN 0,7 1,4 -0,1
FEV 0,5 -0,8 -0,1
MAR -1,5  -1,1  -1,4
ABR  0,9 -4,5  -0,7
MAI 1,5 4,0 0,5
JUN  0.2  0.5  0,5
JUL 0,7 2,5 0,8
AGO  -0,3  4,0  -0,1
SET  0.5  2.6  1.6
OUT  0.6  5.3  1.9
NOV  0.3  4.7  2.3
 DEZ   2.8  4.3  2.5

 

Entenda a Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), através da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física (PIM-PF), produz indicadores de curto prazo relativos ao setor industrial brasileiro.

Iniciada na década de setenta, a pesquisa avalia o comportamento da produção real mensal nas indústrias extrativa e de transformação do país. A coleta de dados é realizada mensalmente e abrange todo o território nacional.

O relatório sobre a produção industrial no país é divulgado em duas versão: Pesquisa Industrial Mensal Produção Física Brasil e Pesquisa Industrial Mensal Produção Física Regional.

 

Produção Industrial Brasileira em Janeiro de 2017

O setor industrial brasileiro, em janeiro de 2017, voltou a mostrar recuo na produção, mas o ligeiro decréscimo de 0,1% observado nesse mês eliminou apenas pequena parte do avanço de 2,9% acumulado nos dois últimos meses de 2016. Ainda na série com ajuste sazonal, esse incremento no ritmo da produção industrial fica evidenciado na evolução do índice de média móvel trimestral que intensifica em janeiro de 2017 (0,9%) o crescimento verificado em dezembro de 2016 (0,5%), permanecendo positivo pelo segundo mês seguido. Mas vale destacar que, mesmo com o ganho de ritmo observado nos últimos meses, o total da indústria recupera apenas parte das perdas registradas nos últimos anos e ainda encontra-se 19,1% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013.

No confronto com igual mês do ano anterior, a produção industrial interrompeu, em janeiro de 2017, trinta e quatro meses de taxas negativas consecutivas e mostrou claro predomínio de resultados positivos entre as grandes categorias econômicas e as atividades pesquisadas, com destaque para os avanços mais acentuados vindos de bens de capital e de bens de consumo duráveis.

Os sinais de aumento no ritmo produtivo do total da indústria também ficam evidenciados no confronto do último trimestre de 2016 (-3,3%) com o resultado do primeiro mês de 2017 (1,4%), ambas as comparações contra iguais períodos do ano anterior. Entre as grandes categorias econômicas, bens de consumo semi e não-duráveis (de -5,4% para 2,1%) e bens intermediários (de -3,2% para 0,8%) assinalaram os maiores ganhos entre os dois períodos e reverteram o comportamento negativo observado no último trimestre do ano passado. Os segmentos de bens de consumo duráveis (de 0,1% para 3,2%) e de bens de capital (de 1,5% para 3,3%) também mostraram avanços, mas já tinham apontando taxas positivas no período outubro-dezembro de 2016.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Janeiro de 2017

– Na comparação mensal, produção industrial brasileira diminuiu 0,1% em Janeiro de 2017

– Produção industrial caiu em cinco das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Janeiro de 2017

– Produção industrial brasileira cresceu 1,4% em Janeiro de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Janeiro de 2017 cresceu em doze das quinze regiões pesquisadas

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em catorze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Janeiro de 2017

    

Produção Industrial Brasileira em Fevereiro de 2017

Em fevereiro de 2017, o setor industrial voltou a mostrar taxa positiva, mas com apenas um ligeiro acréscimo de 0,1% frente ao mês imediatamente anterior. Contudo, vale destacar que no resultado desse mês, observa-se perfil disseminado de crescimento, já que três das quatro grandes categorias econômicas apontaram avanço na produção. Ainda na série com ajuste sazonal, o incremento da produção industrial verificado nos últimos meses fica evidenciado na evolução do índice de média móvel trimestral, que permaneceu positivo pelo terceiro mês seguido. Mas cabe ressaltar que, mesmo com o ganho de ritmo observado a partir de novembro de 2016, o total da indústria recuperou apenas pequena parte das perdas registradas nos últimos anos e ainda encontra-se 18,9% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013.

No confronto com igual período do ano anterior, o total da indústria volta, em fevereiro de 2017, a apontar queda no índice mensal (-0,8%), após avançar 1,4% em janeiro último, quando interrompeu trinta e quatro meses consecutivos de resultados negativos nesse tipo de comparação. Assim, no índice acumulado do primeiro bimestre do ano, observa-se acréscimo de 0,3%, com destaque para os avanços vindos dos setores produtores de bens de consumo duráveis e de bens de capital.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Fevereiro de 2017

– Na comparação mensal, produção industrial brasileira diminuiu 0,1% em Janeiro de 2017

– Produção industrial caiu em cinco das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Janeiro de 2017

– Produção industrial brasileira cresceu 1,4% em Janeiro de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Janeiro de 2017 cresceu em doze das quinze regiões pesquisadas

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em catorze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Janeiro de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Março de 2017

Em março de 2017, o setor industrial voltou a mostrar um quadro de menor ritmo produtivo, expresso não só na queda de 1,8% na comparação com o mês imediatamente anterior, recuo mais intenso desde agosto de 2016 (-3,3%), mas também no perfil disseminado de taxas negativas, já que as quatro grandes categorias econômicas e 15 das 24 atividades apontaram redução na produção. Vale destacar que, com o resultado desse mês, o total da indústria encontra-se 20,8% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013. Ainda na série com ajuste sazonal, os sinais de menor intensidade da atividade industrial também ficam evidenciados na evolução do índice de média móvel trimestral que, após três meses de taxas positivas consecutivas, volta a registrar perda.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial volta, em março de 2017, a apontar crescimento no índice mensal (1,1%), após recuar 0,8% em fevereiro e avançar 1,4% em janeiro último. Vale ressaltar que, no resultado desse mês, verifica-se a influência tanto da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria mostrou queda de 11,4% em março de 2016, como do efeito-calendário, já que março de 2017 teve um dia útil a mais do que igual mês do ano anterior. Assim, no índice acumulado do primeiro trimestre do ano, observa-se acréscimo de 0,6%, com destaque para os avanços vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Março de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Abril de 2017

Em abril de 2017, o setor industrial voltou a mostrar expansão (0,6%), primeira taxa positiva desde dezembro do ano passado (2,0%), e com perfil disseminado de crescimento, já que três das quatro grandes categorias econômicas apontaram avanço na produção. Mas vale destacar que, mesmo com o resultado positivo desse mês, o total da indústria não só não elimina a perda observada no mês anterior (-1,3%), como ainda encontra-se 19,8% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013. Ainda na série com ajuste sazonal, os sinais de menor intensidade da atividade industrial também ficam evidenciados na evolução do índice de média móvel trimestral que assinala comportamento negativo pelo segundo mês consecutivo.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial volta a recuar em abril de 2017 (-4,5%), após avançar 1,4% em março último. Vale ressaltar que, no resultado desse mês, verifica-se a influência do efeito-calendário, já que abril de 2017 teve dois dias úteis a menos do que igual mês do ano anterior. No índice acumulado do ano, os sinais de menor dinamismo da atividade industrial também ficam evidenciados, com o setor industrial recuando 0,7% nos quatro primeiros meses de 2017. Em bases quadrimestrais, essa foi a décima taxa negativa consecutiva, mas a menos intensa dessa sequência, todas as comparações contra iguais períodos do ano anterior.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Abril de 2017

– Na comparação mensal, produção industrial brasileira subiu 0,6% em Abril de 2017

– Produção industrial brasileira retraiu 4,5% em Abril de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

– Brasil: produção industrial acumulou retração de 0,7% nos primeiros quatro meses de 2017

– Produção industrial subiu em cinco das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Abril de 2017

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Abril de 2017 recuou em doze das quinze regiões pesquisadas

– Brasil: Produção industrial diminuiu em seis dos quinze locais pesquisados pelo IBGE nos quatro primeiros meses de 2017

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em doze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Abril de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Maio de 2017

O setor industrial, em maio de 2017, permanece com um quadro de maior ritmo produtivo, expresso não só no avanço de 0,8% na comparação com o mês imediatamente anterior, segundo resultado positivo consecutivo, mas também no perfil disseminado de taxas positivas, já que as quatro grandes categorias econômicas e 17 das 24 atividades apontaram expansão na produção. Mas vale destacar que, mesmo com o ganho de 1,9% nos dois últimos meses, o total da indústria ainda encontra-se 18,5% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial volta a crescer em maio de 2017 (4,0%), após recuar 4,3% em abril último. Vale ressaltar que, no resultado desse mês, verifica-se a influência do efeito-calendário, já que maio de 2017 teve um dia útil a mais do que igual mês do ano anterior. No índice acumulado do ano, os sinais de maior dinamismo também ficam evidenciados, com o setor industrial crescendo 0,5% nos cinco primeiros meses de 2017, com destaque para os avanços mais acentuados vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital. Cabe destacar, nesse confronto, a influência da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria apontou queda de 9,6% no período janeiro-maio de 2016.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Maio de 2017

– Na comparação mensal, produção industrial brasileira subiu 0,8% em Maio de 2017

– Produção industrial brasileira subiu 4,0% em Maio de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

– Brasil: produção industrial acumulou crescimento de 0,5% nos primeiros cinco meses de 2017

– Produção industrial subiu em dez das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Maio de 2017 cresceu em dez das quinze regiões pesquisadas

– Brasil: Produção industrial subiu em dez dos quinze locais pesquisados pelo IBGE nos cinco primeiros meses de 2017

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em onze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Junho de 2017

O setor industrial, em junho de 2017, repetiu o patamar de produção observado no mês anterior, após acumular ganho de 2,5% em dois meses consecutivos de expansão. Vale destacar que, com esse comportamento positivo nos últimos meses, o total da indústria eliminou a perda de 1,9% observada em março último, mas ainda encontra-se 18,2% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013. Ainda na série com ajuste sazonal, o maior ritmo da produção industrial nos últimos meses fica evidenciado na evolução do índice de média móvel trimestral que intensifica o ritmo de crescimento frente ao registrado no mês anterior.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial permanece com resultado positivo pelo segundo mês seguido, mas com intensidade menor do que a verificada em maio último. Vale ressaltar que, no resultado desse mês, verifica-se a influência do efeito-calendário, já que junho de 2017 teve um dia útil a menos do que igual mês do ano anterior. No índice acumulado do ano, os sinais de maior dinamismo também ficam evidenciados, com o setor industrial crescendo 0,5% nos seis primeiros meses de 2017, com destaque para os avanços mais acentuados vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital. Cabe destacar, nesse confronto, a influência da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria apontou queda de 8,8% no período janeiro-junho de 2016.

No índice semestral, o total da indústria, ao avançar 0,5% nos seis primeiros meses de 2017, interrompeu seis semestres consecutivos com taxas negativas nesse tipo de confronto. O aumento no ritmo de produção verificado no total da indústria na passagem do segundo semestre de 2016 (-4,0%) para o primeiro de 2017 (0,5%), ambas as comparações contra iguais períodos do ano anterior, foi observado nas quatro grandes categorias econômicas, com destaque para bens de consumo duráveis (de -5,8% para 10,0%), influenciado, em grande parte, pela maior fabricação de automóveis (de -2,9% para 17,1%) e de eletrodomésticos (de -6,1% para 11,2%). Os setores produtores de bens de consumo semi e não-duráveis (de -4,5% para -1,2%), de bens intermediários (de -4,0% para -0,1%) e de bens de capital (de -0,8% para 2,9%) também apontaram ganho de dinamismo entre os dois períodos, com os dois primeiros ainda registrando taxas negativas entre as grandes categorias econômicas; e o último revertendo seis semestres seguidos de queda na produção.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Junho de 2017

– Produção industrial brasileira não cresceu em Junho de 2017

– Produção industrial brasileira subiu 0,5% em Junho de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

– Brasil: produção industrial acumulou crescimento de 0,5% nos seis primeiros meses de 2017

– Brasil: Indústria avançou 0,2% no segundo trimestre de 2017

– Produção industrial subiu em nove das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Junho de 2017

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Junho de 2017 cresceu em oito das quinze regiões pesquisadas

– Produção industrial diminuiu em onze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE no segundo trimestre de 2017

– Brasil: Produção industrial subiu em dez dos quinze locais pesquisados pelo IBGE nos seis primeiros meses de 2017

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em onze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Junho de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Julho de 2017

O setor industrial, em julho de 2017, permanece com um quadro de maior ritmo produtivo, expresso não só no quarto mês seguido de crescimento na produção na comparação com o mês imediatamente anterior, mas também no perfil disseminado de taxas positivas, já que as quatro grandes categorias econômicas e 14 dos 24 ramos industriais apontaram expansão. Mas vale destacar que, mesmo com o comportamento positivo observado nos últimos quatro meses, o total da indústria recupera apenas parte das perdas registradas ao longo de 2015 e 2016 e ainda encontra-se 17,2% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013. Ainda na série com ajuste sazonal, o incremento no ritmo da produção industrial nos últimos meses fica evidenciado na evolução do índice de média móvel trimestral que ficou positivo pelo terceiro mês consecutivo

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial permaneceu com resultado positivo, com o índice mensal de julho de 2017 apontando o terceiro mês seguido de crescimento e com claro predomínio de taxas positivas entre as grandes categorias econômicas e as atividades pesquisadas. No índice acumulado do ano, os sinais de maior dinamismo também ficam evidenciados, com o setor industrial crescendo 0,8% nos sete primeiros meses de 2017, com destaque para os avanços mais acentuados vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital. Cabe destacar, nesse confronto, a influência da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria apontou queda de 8,4% no período janeiro-julho de 2016.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Julho de 2017

– Na comparação mensal, produção industrial brasileira subiu 0,8% em Maio de 2017

– Produção industrial brasileira subiu 4,0% em Maio de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

– Brasil: produção industrial acumulou crescimento de 0,5% nos primeiros cinco meses de 2017

– Produção industrial subiu em dez das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Maio de 2017 cresceu em dez das quinze regiões pesquisadas

– Brasil: Produção industrial subiu em dez dos quinze locais pesquisados pelo IBGE nos cinco primeiros meses de 2017

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em onze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Agosto de 2017

O setor industrial, em agosto de 2017, volta a mostrar um quadro de menor ritmo produtivo, expresso, especialmente, na queda de 0,8% frente ao mês imediatamente anterior, e que eliminou parte do ganho de 3,3% acumulado em quatro meses consecutivos de crescimento na produção. Contudo, vale destacar que no resultado desse mês, observa-se, mesmo com o total da indústria mostrando queda, predomínio de taxas positivas, já que 16 dos 24 ramos investigados apontaram avanço na produção. Mas cabe ressaltar que, mesmo com o ganho de ritmo observado a partir de novembro de 2016, a produção da indústria recuperou apenas pequena parte das perdas registradas nos últimos anos e ainda encontra-se 17,8% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial permaneceu com resultado positivo, com o índice mensal de agosto de 2017 apontando o quarto mês seguido de crescimento e com claro predomínio de taxas positivas entre as grandes categorias econômicas e as atividades pesquisadas. No índice acumulado do ano, os sinais de maior dinamismo também aparecem, com o setor industrial crescendo 1,5% nos oito primeiros meses de 2017, com destaque para os avanços mais acentuados vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital. Cabe destacar, nesse confronto, a influência da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria apontou queda de 8,0% no período janeiro-agosto de 2016.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Agosto de 2017

– Brasil: Indústria caiu em Agosto de 2017, encerrando sequencia de quatro meses seguidos de crescimento

– Produção industrial brasileira registrou nova expansão anual em Agosto de 2017

– Indústria brasileira acumulou crescimento de 1,5% nos oito primeiros meses de 2017

– Produção industrial subiu em dez das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Maio de 2017 cresceu em dez das quinze regiões pesquisadas

– Brasil: Produção industrial subiu em dez dos quinze locais pesquisados pelo IBGE nos cinco primeiros meses de 2017

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em onze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Setembro de 2017

O setor industrial, em setembro de 2017, volta a mostrar avanço na produção, mas apresenta predomínio de taxas negativas entre os ramos industriais investigados. Vale destacar que o comportamento positivo observado nesse mês eliminou parte da perda de 0,7% registrada no mês anterior, quando interrompeu quatro meses consecutivos de expansão na produção. Contudo, mesmo com o aumento de ritmo observado no setor industrial a partir de novembro de 2016, a produção da indústria recuperou apenas pequena parte das perdas registradas nos últimos anos e ainda encontra-se 17,4% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial permaneceu com resultado positivo, com o índice mensal de setembro de 2017 mostrando o quinto mês seguido de expansão e com claro predomínio de taxas positivas entre as grandes categorias econômicas e as atividades pesquisadas. No índice acumulado do ano, os sinais de maior dinamismo também aparecem, com o setor industrial crescendo 1,6% nos nove meses de 2017, com destaque para os avanços mais acentuados vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital. Vale ressaltar, nesse confronto, a influência da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria apontou queda de 7,5% no período janeirosetembro de 2016.

Notícias sobre a Produção Industrial no Brasil em Setembro de 2017

– Brasil: Indústria voltou a subir em Setembro de 2017

– Produção industrial brasileira registrou forte expansão anual em Setembro de 2017

– Indústria brasileira acumulou crescimento de 1,6% nos nove primeiros meses de 2017

– Produção industrial subiu em dez das catorze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

– Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, produção industrial de Maio de 2017 cresceu em dez das quinze regiões pesquisadas

– Brasil: Produção industrial subiu em dez dos quinze locais pesquisados pelo IBGE nos cinco primeiros meses de 2017

– Produção industrial brasileira nos últimos doze meses retraiu em onze das quinze regiões pesquisadas pelo IBGE em Maio de 2017

 

Produção Industrial Brasileira em Outubro de 2017

O setor industrial, em outubro de 2017, mostrou pelo segundo mês seguido taxa positiva, mas com apenas um ligeiro acréscimo de 0,2% frente ao mês imediatamente anterior. Mas cabe destacar que no resultado desse mês, diferentemente do que ocorreu em setembro último, observa-se perfil disseminado de crescimento, já que 15 das 24 atividades apontaram avanço na produção. Vale ressaltar que o comportamento positivo verificado nesses dois meses elimina parte da redução de 0,8% assinalada em agosto último, quando interrompeu quatro meses consecutivos de expansão na produção. Contudo, mesmo com o aumento de ritmo observado no setor industrial a partir de novembro de 2016, a produção da indústria recuperou apenas pequena parte das perdas registradas nos últimos anos e ainda encontra-se 17,2% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial permaneceu com resultado positivo, com o índice mensal de outubro de 2017 mostrando o sexto mês seguido de expansão e com claro predomínio de taxas positivas entre as grandes categorias econômicas e as atividades pesquisadas. Vale ressaltar que, no resultado desse mês, verifica-se a influência tanto da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria assinalou queda de 7,2% em outubro de 2016, como do efeitocalendário, já que outubro de 2017 teve um dia útil a mais do que igual mês do ano anterior. No índice acumulado do ano, os sinais de maior dinamismo também aparecem, com o setor industrial crescendo 1,9% nos dez meses de 2017, com destaque para os avanços mais acentuados vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital. Vale ressaltar, nesse confronto, a influência da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria apontou queda de 7,4% no período janeiro-outubro de 2016.

 

Produção Industrial Brasileira em Novembro de 2017

O setor industrial, em novembro de 2017, mostrou pelo terceiro mês seguido taxa positiva, mas novamente com apenas um ligeiro acréscimo frente ao mês imediatamente anterior. Vale ressaltar que o comportamento positivo verificado nesses três meses eliminou a redução de 0,6% assinalada em agosto último, quando interrompeu quatro meses consecutivos de expansão na produção. Contudo, mesmo com o aumento de ritmo observado no setor industrial a partir de novembro de 2016, a produção da indústria recuperou apenas parte das perdas registradas nos últimos anos e ainda encontra-se 16,7% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013. Ainda na série com ajuste sazonal, o maior ritmo da produção industrial nos últimos meses fica evidenciado na evolução do índice de média móvel trimestral que permanece com a trajetória ascendente iniciada em abril de 2017.

No confronto com igual período do ano anterior, a produção industrial permaneceu com resultado positivo, com o índice mensal de novembro de 2017 mostrando o sétimo mês seguido de expansão e com claro predomínio de taxas positivas entre as grandes categorias econômicas e as atividades pesquisadas. No índice acumulado do ano, os sinais de maior dinamismo também aparecem, com o setor industrial crescendo 2,3% nos onze meses de 2017, com destaque para os avanços mais acentuados vindos dos setores associados à produção de bens de consumo duráveis e de bens de capital. Vale ressaltar, nesse confronto, a influência da baixa base de comparação, uma vez que o total da indústria apontou queda de 6,9% no período janeironovembro de 2016.

 

Produção Industrial Brasileira em Dezembro de 2017

Em síntese, com a expansão de 2,8% verificada em dezembro último, quarto resultado positivo consecutivo no confronto com o mês imediatamente anterior, observa-se que ao longo de 2017, o setor industrial apresentou uma maior frequência de taxas positivas do que o observado em anos anteriores. Assim, com exceção dos meses de março (-1,5%) e de agosto (-0,3%), todos os demais assinalaram crescimento na produção em 2017. Mas vale ressaltar que mesmo com esse comportamento positivo recente da indústria, essa recuperou apenas parte das perdas registradas nos últimos três anos e ainda encontra-se 13,8% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013. Ainda na série com ajuste sazonal, o maior ritmo da produção industrial em 2017 também fica evidenciado na evolução do índice de média móvel trimestral que permanece com a trajetória ascendente iniciada em abril de 2017.

No confronto com igual mês do ano anterior, a produção industrial mostrou avanço pelo oitavo mês consecutivo, mas com o índice mensal de dezembro de 2017 reduzindo a magnitude de crescimento frente aos dois meses anteriores. Na análise semestral, em que o total da indústria teve comportamento positivo ao longo de 2017, verifica-se aumento na intensidade de crescimento na passagem dos seis primeiros meses do ano (0,8%) para o segundo semestre (4,0%), todas as comparações contra iguais períodos do ano anterior. Com isso, no fechamento do ano de 2017, o setor industrial também assinalou expansão (2,5%), interrompendo, dessa forma, três anos consecutivos de queda na produção. Entre as grandes categorias econômicas, esse ganho de dinamismo entre os semestres também fica evidenciado, com as maiores expansões vindo de bens de capital, que passou de 2,9% no primeiro semestre do ano para 9,1% no segundo, e de bens de consumo duráveis (de 10,1% para 16,2%). Os segmentos de bens de consumo semi e não-duráveis (de -1,1% para 2,9%) e de bens intermediários (de 0,4% para 2,7%) também apontaram ganho de ritmo entre os dois períodos.

 

Últimas Notícias sobre Produção Industrial

No Articles Found

Seu Histórico Recente